urticária

Sr. Polvo estava tão absorvido em pensamentos que deixou seis dos seus braços a trabalharem mecanicamente a grande velocidade, estando o sétimo definhado, mais murcho que uma uva passa, depois de sacrificado durante a noite num ataque de melgas marinhas. Sobre o oitavo… toda a gente sabe que esse é um hectocótilo, ou braço modificado e não é usado para este tipo de tarefas.

-Mas o que é isto? Gritou o encarregado, um descomunal piraíba de grandes bigodes que transpunha a custo a entrada. O Sr. Polvo automaticamente parou todos os seis braços, ficando cada um suspenso, segurando na extremidade tentacular uma parafernália de ferramentas perigosas.

-Eu disse especificamente que era para aplicar Aequorea victoria bioluminescentes nesta secção, com um distanciamento máximo de dois virgula cinco metros entre medusas. O Sr. Polvo desceu do escadote e deu meia dúzia de passos à retaguarda até junto da porta, para usufruir da perspetiva do Sr Piraíba, o encarregado.

-Mas estão todas perfeitamente alinhadas e distam precisamente dois virgula cinco metros entre si. Justificou o Sr. Polvo, limpando os óculos à extremidade de um tunicado que por ali passava.

-Incompetente! Aquilo ali pendurado são Stomolophus meleagris! Vociferou o encarregado, sufocado por uma máscara de algas que o levava a querer arrancar os fartos bigodes que lhe ladeavam a boca.

O Sr. Polvo levantou a cabeça incrédulo para as coroas de tentáculos que pendiam do tecto, constatando que o encarregado tinha razão e que havia pendurado as medusas erradas. Teria de as substituir uma por uma, pensava, envolvido por uma sensação gelatinosa de desânimo e urticária.

-Vamos lá polvo (homem), está à espera de quê para corrigir isto? Voltou a atacar o encarregado. Mas o Sr. Polvo já esgotara toda a paciência em pastilhas, saquetas, cápsulas e por isso foi largando as ferramentas dos tentáculos de forma dramática enquanto se encaminhava para a saída, ignorando o encarregado.

Uma chuva muito fina começou a cair quando o Sr. Polvo se pôs a caminho de casa, acompanhando-o no seu alheamento de espírito e olhos confinados no chão. É difícil para um narrador saber exactamente como as coisas sucedem, mas o que vos conto foi como aconteceu. Ia o Sr. Polvo meditativo e cabisbaixo num lado da rua, quando, do outro lado, a presença de Menina Lulinha foi como sentida à distância e de imediato levantou os olhos, a cabeça, todo o tronco, pois um polvo é praticamente cabeça e pernas. Era ela, tinha a certeza, apesar de ter o rosto parcialmente escondido por uma máscara às pintas e mudado o penteado. Esta parte agora vou fantasiar um pouco, mas quase acredito que os três corações do Sr. Polvo começaram a bater num descompasso frenético. Como era bonita, suspirava. No momento em que decidiu levantar os seus vários braços e acenar para a Menina Lulinha, o choco encorpado do noivo apareceu e foi ver o polvo mudar de cor até ficar do tom pálido, quase branco da parede.


episódios anteriores em
Kałamarnica e o Bolo do Sr. Polvo

 



 




Comentários

  1. Mas nada corre bem ao Sr. Polvo?!
    Vou procurar os episódios anteriores...

    ResponderEliminar
  2. Um gin bem fresquinho ajuda a esquecer isso tudo!

    Habilidade para continuar a história não tenho.

    Tomara eu não ofender com algum comentário mais brincalhão.

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh, ouvi dizer que o Sr. Polvo anda a evitar os vícios... o que o deixa ainda mais mal disposto :)
      nunca ofendes, há pouca seriedade neste nível
      abraço

      Eliminar
    2. Pois, eu tenho que manter o distanciamento social desses "maganos". A balança começa

      a ter muitos ciúmes da nossa amizade.

      Tive um professor de matemática que dizia que "se os conselhos fossem bons, vendiam-se, não se davam". Mas eu nunca fui boa aluna a Matemática.

      Por isso cá vai: descansai Sr Polvo que o que tiver que ser nosso, á nossa mão vem parar.

      Um abraço do Algarve (deve ser engraçado um abraço de um polvo!)

      Sandra Martins

      Eliminar
    3. abraço de seis braços por estes dias :)

      Eliminar
  3. Eu ainda tenho esperança que a D. Lulinha...(tipo o Amor nos tempos de Cólera).
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é parecido... amor nos tempos de Pandemia... ou desamor!

      Eliminar
  4. Contratei o Agente do Ó -- a trabalheira que me deu chegar à fala com ele?! -- e sei de fonte segura, que essa urticária que sentes, não foi provocada por melga alguma, isso é obra dessa insidiosa alforreca que usa o nome pomposo de medusa, se expande e contrai em orgásmicos movimentos, pronta a te envolver na líbido viscosa ou lá o que é aquela coisa nojenta, abjecta e peçonhenta que ela usa para te imobilizar os tentáculos e, quiçá, a tal oitava perna. Lambona!
    E mais não digo....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É lá, que eu gostei deste seguimento :) a Janita tem jeito para o romance ♥️
      Polvo, não sofras, que a vida é curta e em breve um meteorito acaba com isto tudo!

      Eliminar
    2. (temos de partir os dentes a esse choco pintado de m#erda!)

      Eliminar
    3. Ahahahah...sou uma eterna romântica, Flor!!
      Pois é isso, temos que ir em socorro deste polvo entristecido, a ver se a Menina Lulinha lhe descobre as qualidades. Esse tal polvo encorpado - o noivo - não nos mete medo, ora essa!
      Ele, o nosso polvo é que se deixa abater em vez de ir à luta...ah, se fosse connosco...:)

      Abraços e beijocas repenicadas aos dois! :)

      Eliminar
    4. O noivo é choco, é apertar lhe as partes e tinta-se todo!!
      E o 🐙 já merecia uns tempos de romance, sim senhora!

      Eliminar
    5. só se for com muita imaginação é que o polvo arranja uma ameijoa, ou sardinha... isto está cada vez mais negro, como a tinta

      Eliminar
  5. De repente lembrei-me do choco frito de Setúbal, só para destoar um pouco [risos]
    Tarde boa, Manel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que saudades de Setúbal e de um restaurante ali perto da praça de toiros... será que ainda existe?

      Eliminar
  6. Boa tarde tudo bem?Desculpe o encomodar. Sou brasileiro e procuro novos seguidores para o meu blog. Novos amigos também são bem vindos, não importa a distância. No mais desejo muita saúde para você e sua família.

    https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigado Luiz, saúde para ti também e para a tua família

      Eliminar

Enviar um comentário