yukata

Estava sentado num tatami de pernas cruzadas. Era a segunda vez que sonhava com este dojo, mas agora não chovia nem havia meias para dobrar. Contemplava o padrão shibori do meu yukata, quando a guardiã das chaves personificada em Otsū sentou-se ao meu lado. Também ela usava um yukata, mas colorido, com um largo obi amarelo que atava nas costas. Estava inclinada para mim, as pernas postas paralelas para o lado. As mulheres não devem cruzar as pernas, nem os homens se devem sentar de lado. 
Cada vez chegavam mais pessoas para o casamento e ainda não tinha conhecido o noivo. Era estranho a minha tia voltar a casar, quase trinta anos depois do seu primeiro casamento e aparentemente era o único da família que tinha chegado. As pessoas circulavam de copos na mão, falavam baixo e algumas sentavam-se em silêncio. Quase todos usavam kimono, hakama e hahori em seda. Otsū deslizou a mão por dentro do meu yukata e fechei os olhos, limitando o leque de sensações. O seu toque era muito agradável, na pressão certa e foi com grande tristeza que acordei.






Comentários

  1. Ahahahhah
    Acordas sempre antes dos sonhos acabarem. Deve ser por falta de tempo. Já experimentaste deitar-te mais cedo?

    Boa noite afilhado mailindo, como Tu tá?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já experimentei, ainda ontem fiz isso, mas o resultado é sempre o mesmo...
      tou bem, e tu como estás?
      beijos

      Eliminar
  2. Oh, Manel, sonha em português. Quem sabe vais até ao fim sem perda de tempo na tradução. Um abraço desses, tão bom, tão reconfortante, era obrigatório ir até ao fim... Se ela nem apertou com força nem nada...que azar o teu! :)
    Fui lá ao 'Beco' e gostei muito.
    Beijos, cigano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ehehehehe, acho que os sonhos foram feitos só para darem uma amostra do que a realidade pode ser...
      dei com o "beco" enquanto limpava arquivos. gosto mais do que escrevia nessa altura.
      beijos, Janita

      Eliminar
    2. Impressão tua, Manel. Movida pela insatisfação e exigência, normal, de quem escreve. Mantens o mesmo estilo e a mesma beleza com que iniciaste a tua escrita na blogosfera.
      Sabes que houve um dia que me embrenhei pelo teu blog e fui até às tuas primeiras publicações? :) Foi logo quando comecei a vir aqui. Senti que, durante muito tempo, escrevias unicamente para ti. Numa espécie de libertação, algo necessário na tua vida; e fazia-lo com a mesma naturalidade com que se respira.
      Não te preocupes em agradar, deixa que o sonho guie o teu pensamento...
      Boa semana, ciganito! :)

      Eliminar
  3. Caramba, assim não vale. cortarem os sonhos assim a meio, sem sabermos o final...
    Mas não dizem que os sonhos têm muito da nossa realidade? Quem sabe não continua um dia destes...
    Boa semana Manel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acho que o problema foi fechar os olhos... nã se deve fazer isso, quando os abri de novo sai do sonho
      boa semana Gaja

      Eliminar

Enviar um comentário