trapézio

 

Assisto ao retroceder da humanidade com uma serenidade estranha, espectável, como se tivesse isolado com fita os sentimentos e nada tivesse a perder ou a lamentar. Um destes dias apercebi-me que o isolamento não era só emocional, mas também físico e senti como já não sentia faz muito tempo a falta do toque humano. Sentirei ainda mais quando já não restar ninguém para me massajar os ombros e com esta preocupação em mente quando o mundo caminha para o abismo, dei por mim a pedir a qualquer pessoa que me cravasse na pele os seus dedos, estranhos e conhecidos, nem que fosse por um milésimo de segundo.   




Comentários

  1. Há anos que ando a dizer que a humanidade se encaminha para o seu extermínio, e há anos que muito gente pensa que não regulo muito bem.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pior cego é quele que nã quer ver :)
      abraço e muita saúde

      Eliminar
  2. Cada dia é um novo dia. Cada momento é um novo momento. Há que encará-los com serenidade, determinação e coragem.
    .
    Cumprimentos poéticos.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. invejo os otimistas! oh se invejo!
      boa semana Ricardo :)

      Eliminar
  3. Também gostava de saber se existe alguma mezinha para curar a desilusão.

    Chove de todos os lados.

    Esta semana estamos assim.

    Bem- vindo "Manel"!

    um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, algo sem ser químico ou prescrito por médicos... ou ilegal! de preferência sem efeitos secundários... um milagre talvez...
      abraços daqui

      Eliminar
  4. Tome lá um abraço destes que se esfumam pela rede...mas prometo que se um dia pisar este país irei dá-lo ao vivo, sou moça para isso:) E compreendo muito bem essa necessidade de toque mas mesmo antes da pandemia já tinha começado o movimento dos free hugs...e de todas as vezes que agarrei num grupo de estudantes e fui para os mercados, para as praças e até para um centro comercial eles espantaram-se....havia sempre quem os procurasse, ao contrário do que supunham.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isto é novo para mim, esta necessidade de toque... ainda por cima porque não sou de tocar nos outros :) a nã ser que tenha algum tipo de intimidade com a pessoa, claro!
      aceito abraços esfumados, retribuo do mesmo modo :)

      Eliminar

Enviar um comentário