monge

Desde que me tornei adulto (ou aparentemente adulto), nunca vivi de forma tão monástica como tenho vivido nos últimos dois meses. Deixei de beber, como menos carne, perdi os quilos extras que tinha coleccionado no confinamento, foco-me no trabalho, esvazio as frustrações em tarefas pesadas, aceito todo o horário extra. A sopa passou a ser obrigatória na ementa e parte do domingo é reservado a cozinhar e a planear refeições para a semana. Tenho uma panela de pressão (acho que é coisa mesmo de adulto). Almoço sozinho, em silêncio, quinze minutos no máximo e no fim desinfecto a mesa e a cadeira para o próximo. Em casa é parecido, só não há ninguém à espera pela sua vez. Acabaram-se as jantaradas, as idas ao pub, os jogos de bola. Também não há loiça suja acumulada na pia, nem roupa pendurada nos puxadores das portas. Nunca a casa esteve tão limpa e arrumada, e sem ninguém para receber. Corro sozinho, quando as ruas estão desertas e os semáforos intermitentes. Caminho mais recto e sem dores nos joelhos, mas de olhos no chão. Nunca estive tão sóbrio e casto, imerso em pensamentos, distante do humano e da pele. Nunca senti tão pouco. Talvez por isso os sonhos* sejam cada vez mais intensos e constantes, desprovidos dos fios da realidade que habitualmente aparecem misturados na trama, envolvendo pessoas reais e imaginárias sem ligações ao quotidiano, como se fossem a única escapatória, a arena do devasso, o parco consolo da mente.


*estava no coliseu de Roma, como ele era originalmente com os seus 50 metros de altura e 90 mil espectadores na assistência... e eu era patrocinado por uma leitaria!



Comentários

  1. Oh.............agora é que estás mesmo em ponto rebuçado!!

    Que raio de sonho. Não gostei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas era giro, o coliseu cheio de pessoas, todas sem máscara e o cartaz da leitaria lá no alto :)

      Eliminar
  2. Sem dúvida, estás adulto. Agora só falta o monte, o rebanho, uma moçoila linda para um moçoilo giro de morrer... e uma penca de filhos :-)

    Quando tiveres tudo isso, os sonhos maus/confusos passarão à história

    Beijocas tantas, afilhado mailindo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. quanto é uma penca? :) nã me parece que essa parte esteja destinada a acontecer... isto tem sido como uma lavagem no programa errado em que os planos saem encolhidos :) mas desde que haja saúde, trabalho e alguns sonhos, já me considero feliz.
      beijos madrinha mai linda do mundo

      Eliminar
  3. Não gosto de panelas de pressão - uso a minha unicamente para cozer polvo, que invariavelmente acaba no forno para um polvo à lagareiro.
    Também não sou de "ordem" excessiva... cá em casa há sempre alguma coisa fora do sitio...
    A vida desinfectada não tem grande piada realmente... que ao menos os sonhos escapem! (o coliseu de Roma seria tudo menos asséptico, e seguramente não se cumpririam quaisquer normas de distanciamento social!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eram montes de pessoas sem máscara, mas estava um sol radioso e a arena brilhava... e no topo, lá bem em cima, um grande cartaz da leitaria :) nã faço a menor ideia de onde veio a cena da leitaria... nem conheço nenhuma.
      isso de cozer polvo... cheira-me a provocação! já pensaste cozer leguminosas ou fazer sopa?

      Eliminar
    2. Tu não te ponhas a falar com uma psicanalista sobre significado de sonhos...... ahahahaha
      Provocação nenhuma!
      Retiro já o que disse!

      Eliminar
  4. tens, com urgência, que introduzir alguma desarrumação na tua vida: uma namorada meio estouvada, por exemplo, Stormy :)

    Ei,Boop, o polvo cozinha-se facilmente só na panela: coloca-o em água com uma cebola inteira lá dentro; quando a cebola estiver cozida, o polvo... também :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sei que parece desculpa, mas está complicado introduzir pessoas...
      :)

      Eliminar
    2. E depois que utilidade dou à panela de pressão?!?!?!???
      Ahahahha

      Eliminar
  5. A sério? Já bastam as condicionantes impostas pelo "Sr Vírus", não precisamos de nos auto-limitar.

    Mais uma vez, não seguindo o que me foi ensinado por um professor, dou um conselho:

    Escolher no Yotube música que se goste, elevar o som até onde não obrigue os vizinhos a chamar a polícia e dançar! De preferência com um copo na mão. Creio que uma garrafa de gin ou de whisky é considerada um "bem essencial" de certeza!

    E/ou arranjar um animal de estimação (ia dizer um cão... Percebe não é). Desarrumam a casa mas compensam em afecto.

    Vai ver que se acabam esses sonhos que parecem pesadelos.

    Por falar em polvo, onde andam as histórias do "Sr. Polvo"? Não me diga que pregou com ele na panela!

    Boa semaninha!

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ehehehehehe, sim, reconheço que escolhi mal a ocasião para cortar na bebida... mas a música está lá e os sonhos, até gosto deles, mesmo dos menos bons :)

      hum, Sr. Polvo anda meio inibido, nã sei se pensa que a panela de pressão é para ele... mas juro que ali só tem entrado leguminosas e hortícolas :)
      boa semana, abraço

      Eliminar

Enviar um comentário