cílios


Tenho vivido esgotado entre este e outro mundo onde me atiro em fuga, temendo enfrentar a miríade de caos que se desloca cada vez que pestanejas. Talvez não saibas, mas há vastas faixas de universo vazio. 




Comentários

  1. um pulloverzinho nesse cadáver vinha mesmo a calhar....

    ResponderEliminar
  2. A sensação de estar abraçado a um cadáver despido de carnes nem deve ser assustador. Só o será se ... se acender a luz.
    .
    Saudações poéticas
    Cuide-se, proteja-se

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. um nã cadáver despido de carnes deve ser ainda mais assustador :)
      abraço

      Eliminar
  3. Li uma meia dúzia de vezes, mas mesmo assim não tenho a certeza de ter entendido o que queres dizer... hummmm

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheheheheh, minha cara Boop, o que achas que entendeste, mesmo sem certezas, é precisamente isso que eu pretendia dizer...

      Eliminar
  4. Não será chegada a hora de enterrar esqueletos, e na aurora vislumbrar um novo dia?

    Beijinho, afilhado mailindo quinté :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. parece que o desconfinamento desenterrou mais do que aquilo que aguento... beijos madrinha!

      Eliminar
  5. Esqueletos? Velhíssimas metáforas que nem lá vão nem fazem minga?
    Fora com toda essa tralha de amargores.
    Parte para a Luz e para a Vida, cigano...
    ....enquanto estás a tempo...recua!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é como te digo... o desconfinamento anda a desenterrar velhíssimas carcaças, nã fui eu que abri as portas aos mortos vivos :)

      Eliminar
    2. Tás sempre a cair no mesmo logro, é o que é...depois nã te queixes.
      Até um coquete bater de pestanas te faz derreter todo... :-P

      Eliminar
  6. Não cedas aos flagelos. Tenho uma imagem para a troca que te vou enviar!
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. "Parfois, quand la pensée était subtile, elle approuvait d'un battement des cils."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tré joli... em francês fica ainda mais lindo dizer um batimento de cílios :)

      Eliminar
  8. Faixas de universo vazio? Realmente não sabia!
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Cara Elvira, há espaços desprovidos de astros, nada de nada, como aquele silêncio que separa as músicas nos discos :)

      Eliminar
  9. Eu tenho medo do ridículo, de comentar sem perceber o sentido do post.

    Se se refere ao facto de andar toda a gente armada em "zombie", com medo de se cumprimentar, fogem como se todos tivessem a peste, anda tudo desconfiado e só se ouve dizer "tenho medo, tenho medo", não podia concordar mais.

    Temos que conviver com o vírus e Viver a Vida!

    Se se refere ao aumento de trabalho depois do desconfinamento, digo que já esperava.

    Por isso, estive sempre a trabalhar, com as devidas precauções. Para não deixar acumular.

    Se devia ter estado mas é caladinha, peço desculpa.

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nã tenhas medo :)
      cada pessoa é livre de interpretar o que escrevo, principalmente quando o faço desta forma, sem grande sentido :) e é interessante o feedback
      há um pouco de tudo. cansaço, desnorteamento, fundamentalismo... esperemos que tudo volte ao normal, ou quase normal. Um abraço

      Eliminar
  10. Às vezes também é isso, abraçam-se esqueletos.
    Bora lá preencher essas faixas vazias que a vida não espera.
    Tarde boa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é isso... só nã sei se sou eu que abraço, ou se nã serei o esqueleto...
      bom fim de semana

      Eliminar
  11. Há uma catrefada de faixas, mas marca o caminho para voltares para a correcta, nã te percas pelas outras!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário