somnium

“um post por dia até ao fim do corona" dia 9…

Fazem-me falta aqueles itinerários nocturnos tracejados de precipitação, os lábios entreabertos das estátuas que ficaram sem ar, as portas vermelhas sem cor sempre abertas. É como se o tempo não tivesse lugar marcado, deixasse de ser uma grandeza, ou então a rotação marchasse de súbito acelerada, trocando o céu de astros por um corpo celeste trezentas mil vezes superior. Era noite e já o dia rompe sem obstáculos pela janela, onda e partícula em trajectórias rectilíneas, sombras e proporções desenhadas num quarto. Quente, por baixo da roupa, a mão procura por uma ponta, um fio desfiado de um sonho entorpecido, mas não há nada. 





Comentários

  1. Se não sonhas é porque não sonhas, se sonhas é porque ai jesus não descanso, vá lá entender este homem :-)
    Ainda assim, é um gosto ler-te.
    Abracinho, afilhado mailindo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. queria viver tudo numa noite, como diz a música! abraços e abreijos madrinha, cuida-te!

      Eliminar
  2. Quando saíres desse sono pesado e profundo, vais ver que, mais leve, os sonhos te inundarão as noites de magia...solta-te, Cigano!
    Não te deixes amarrar a pesadelo algum, tens aqui muitas mãos que te acariciam com amizade...que te farão sonhar qual Sultão Shariar e nós, tuas Sherazades...:)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isso sim, era um paraíso de sonho :) vou experimentar ler algo que seja mais adequado a ter sonhos desses... a ver se apresento ao espírito imagens mais agradáveis... depois digo como corre. beijos, Janita, cuida-te

      Eliminar

Enviar um comentário