petrificado

“um post por dia até ao fim do corona" dia 8…

Antes de começar a escrever tiro os óculos. Estão sujos, mas agora não me levanto para os ir limpar. As últimas noticias impregnaram-me de um medo terrível e as pernas não se mexem. Originalmente sou eu, pareço eu, são os meus óculos aqui pousados, as minhas mãos que escrevem, mas é só a aparência que está conservada, convertida numa forma fossilizada. Não sei se consigo, não sei mesmo. A esperança abandona-me. 

Comentários

  1. Então, Stormy querido, não finjas que não és corajoso, quando todos o sabemos :D*
    E, ah, a esperança é cousa estranha, eu dou-lhe outros nomes,

    ResponderEliminar
  2. , aliás, eu dou outros nomes a tudo e a todos.
    Foge do(s) dicionário(s).
    Rápido............. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já tinha reparado que lhes davas outros nomes :) e agradeço-te por o fazeres... assoprares o convencional das nossas vidas, essa lufada de ser

      Eliminar
  3. Também usas óculos! Não ficam embaciados com o nevoeiro?
    Pára de ver as notícias, tu nunca quseste saber disso. Os artistas estão a disponibilizar montescde obras gratuitas online para quem tem tempo livre este é um tempo fantástico.
    Vê isto:
    https://vimeo.com/398240384

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já uso desde outubro, como nã reparaste? ficam embaciados com bebidas quentes, autocarro, sujidade, mas nevoeiro acho que nã...
      copiei o link mas diz que nã consegue encontrar essa página, podes mandar de novo... e obrigado!

      Eliminar
    2. Eu uso desde mil nove e troca o passo (quase 35 anos).
      Estou mesmo naba ou exausta, hoje.
      A agência de curta metragem colocou várias curtas portugueses online para os tempos da quarentena.
      Vê o 'Penumbria' e as outras também mas era o Penumbria que recomendava mais acima
      Acho que é isto, senão tens que pesquisar se te apetecer:
      https://vimeo.com/showcase/short-films-for-long-days

      Eliminar
  4. Há dias assim, é aceitar o medo, deixá-lo sentar-se à nossa frente, deixá-lo olhar para nós até se cansar. até ele se cansa, vais ver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. estou preocupado. isto passa, tudo passa, mas hoje nã consigo disfarçar.

      Eliminar
    2. Entendo te bem (creio que todas nós). Um abraço.

      Eliminar
  5. Atonhe miúdo, qué lá isso? Dorme, descansa, e vais ver que amanhã não parece tão mau.
    Abracinho de madrinha, que se lixe a distância, precisas hoje, é hoje que te abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, nada como uma noite de descanso para se acordar com forças renovadas e uma visão mais optimista. Obrigado, abraço grande, bons sonhos.

      Eliminar
  6. Sei como te sentes. Um corpo jovem vivendo um sentimento que vive na alma de uma pessoa de muita idade.
    Sei...mas não sei como ajudar-te. Lamento.
    Amanhã, talvez, já te sintas de novo como o jovem que és.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, hoje estou um pouco menos pessimista... mas nã me sinto nada jovem, estou mais velho que ontem, mas a culpa é do oxigénio, se nã houvesse oxigénio, éramos sempre jovens :)

      Eliminar
  7. (não fiques assim. conto contigo para também não me afundar)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que responsabilidade... vamos acordar que ninguém se afunda, todos temos de ser bóias!

      Eliminar
  8. Obrigada pela franqueza, que isto de guerras e heróis é coisa que não me diz nada...todos temos um momento negro nestes dias, temos é só que não nos deixarmos engolir completamente...estamos aqui, deste lado, mas consigo (e tem que sobreviver até ao almoço da Alexandra lá pelas bandas da hospedaria, mais perto do Verão, veja que as viagens agora devem estar baratas...). Há um tempo de abraços à nossa espera!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. normalmente uso a escrita para "embelezar" os dias... é como uma terapia, nã sou muito de correr nem fazer puzzles... mas ontem foi mau e nã segurei as rédeas e prontos... saiu isto. Melhores dias, um tempo de abraços, bem dito!

      Eliminar
  9. É deixares um tico de ver notícias.
    É respirares fundo e pensares em coisas que te obrigam a sorrir feito parvo.
    E sorrires.
    Feito parvo.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. só fiz a parte do parvo... mas hoje já vi menos notícias e sorri um pouco, ao ler isto, feito parvo. :)

      Eliminar
  10. O medo tem distintos efeitos nas pessoas. A mim também me dá mais para a paralisia. Vamos lá abanar um pouco.:)

    ResponderEliminar
  11. Então ? que é lá isso? podes sempre divertir-te a fazer nuvens e chuva. Pelomenos assim não tinhamos pena de não poder ir à rua

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. precisava de ir para a fábrica, nã consigo fazer nuvens em casa...

      Eliminar

Enviar um comentário