ausente

Aquele que em mim escreve tem estado ausente. Faz-me muita falta, principalmente de madrugada quando todos dormem e as minhas costas repelem dolorosamente o sofá-cama. Aquele outro que em mim pensa também me faz falta, pois ele certamente teria trazido um colchão insuflável para este fim do mundo, e as minhas costas estariam gratas e nem precisávamos de mencionar o gajo que escreve, que só foi lembrado porque estou aborrecido sem nada para fazer.
Esse idiota desapareceu, deixando para trás os cadernos empilhados e a esferográfica favorita. Talvez tenha ido em busca de emoções. Um escritor tem de viver, dizem. Não que ele fosse mesmo um escritor. Acho que o gajo tem a mania que escreve, mas ainda lhe falta muito para escritor. As nossas conversas eram interessantes e tínhamos muitos interesses em comum. Fiquei cá eu na minha vida de couve transplantada, a refilar com os vermes que lentamente me devoram. Devias sair mais, dizem. Eu sai, eu mergulhei, eu saltei, até dancei, sacrifiquei-me em prol da escrita, até apareci em festas sem ser convidado, mas ele não regressou. 



Comentários

  1. Vai pensando num substituto para esse gajo...ele tem demasiados macaquinhos no sótão... Vais ver não é mesmo real, é fruto da minha imaginação e nunca existiu! :-P

    ResponderEliminar
  2. Que bom ter te de volta, a tua escrita faz falta na blogosfera, Mau-Tempo.

    ResponderEliminar
  3. Fizeste-me falta...
    Gostava de saber mais dessas festas a que foste sem ser convidado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh nã foi nada interessante e cada pessoa levava a sua bebida...

      Eliminar
    2. Pensei que tinhas ido a casamentos sem ser convidado ou funerais até...

      ps Tens isto cheio de virus /bichos aproveitaram-se da tua ausência....

      Eliminar
    3. sabes o que fazer para me ver livre destes bichos? já começa a irritar...

      Eliminar
    4. Tens que activar aquilo dos comentários que nos faz duvidar da nossa humanidade, obrigando-nos a provar que não somos robots.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. às vezes penso se nã serei apenas uma ideia, ou se nã faço parte de uma história que alguém conta...

      Eliminar
    2. Isso justificaria muita coisa

      Eliminar

Enviar um comentário