junun

Antes de abrir a boca, que na verdade em nada se parecia com uma boca, a árvore com olhos carregou o sobrolho e deixou escapar um suspiro profundo. Não há fim, nem princípio. Disse, na sua voz grave, mas reconfortante de álamo. O que há é uma dança, uma festa com fogo de artifício infinito e música. Esse fervor que sentes na extremidade dos teus dedos, que vai muito além da pele, muito além dessa casca que tu achas que é estanque, é uma dança. E todos dançamos. Repetiu a árvore com olhos. Se continuares a enraizar nos outros, vais acabar por ficar enjoado.





Comentários

  1. Mas que árvore tão independente, morrerá de pé, mas, sozinha, com certeza.

    Boa noite afilhado
    PS: Ouve as árvores e até as ervas daninhas, guarda delas, os avisos, os cuidados mas segue o teu sentir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. as árvores com olhos são mesmo assim :)
      boa noite madrinha, já chove?
      beijos e cuidado com as constipações

      Eliminar
  2. Se é para dançar, dancemos! Árvores, raízes, galhos... tudo pró meio da sala e toca a girar. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sempre que esta música passa na minha lista, eu danço! nem que esteja no meio da rua :)

      Eliminar
  3. Esta noite sonhei contigo, Cigano!!
    Andavas perdido no meio de uma floresta, como se de um labirinto se tratasse.
    Eu, aflita, sem saber como te indicar o caminho de volta, acordei em sobressalto.
    O mais curioso é que, como nunca te vi, o meu sub consciente fez de ti o retrato exacto de Paul Thomas Anderson...e agora? Explica-me lá isto.

    Beijos e boa dança, Manel... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ehehehehe, muito bom... mas a explicação é simples... o Anderson realizou um documentário sobre o álbum junun... o teu subconsciente juntou tudo mais árvores e pufff...
      beijos Janita, boas danças e melhores sonhos

      Eliminar
    2. Queres melhores sonhos do que sonhar contigo?
      :)
      Nestes dois últimos dias não tenho sonhado nada.
      Até os sonhos me abandonaram, Cigano...ninguém me quer.

      Eliminar
  4. Bonito.
    Há que aprender, a serena expectativa. :)
    Um dia de cada vez.

    Deixo um abraço. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. uma dança de cada vez, que o baile já vai a meio :)
      abraços

      Eliminar
  5. Não podemos enraizarmo-nos nos outros (os olhos da árvore vêem bem e além, diria eu) mas podemos estender-lhes os braços e dançar todos os verdes que se podem vestir dançando. As raízes são terra só nossa, ou deixaremos de ter lugar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a alusão da árvore é à libertação... mas todas as possibilidades estão em aberto :)

      Eliminar

Enviar um comentário