caução


Quinhentos e dezoito dias sem amor, contava o homem pelos dedos. Atravessou a estrada por entre os carros e entrou no prédio degradado, pontapeando o cérebro para longe. Esta é a nossa última dança. Diz a letra suspensa na entrada, intermitente néon vermelho. Aqui nunca chove, mas as paredes descascam-se como cebolas cinzentas. Dois andares e meio depois já se sente o cheiro a óxido nitroso. Não quero sentir nada. Pede o homem que fecha os olhos. E mais uma vez lhe cosem a cavidade vazia, devolvendo-lhe a caução do órgão.





Comentários

  1. olha,

    Nuvens pesadas suspensas sobre muitos homens não os deixam pensar

    Fotografia de Alejandro Tocornal



    Nuvens pesadas suspensas sobre muitos homens não os deixam pensar.
    Ainda que ergam a cabeça, estão isentos de ideias, de contrições e de amor.

    É uma fórmula: um homem dedica o seu dia à escuridão do gesto, submete
    o corpo aos instintos mais pesados, toma banho de pijama, não olha pela
    janela nem atravessa pontes.
    E o resultado: um dia de chumbo em excesso para o somatório de cicatrizes,
    um nível abaixo do penteado.
    A liberdade é, nestes casos, o maior desperdício de um homem-livro, uma
    tirania difícil de inalar.

    Dão-lhe a poesia e ele escreve tempestades.
    Sílvio Mendes

    aqui:
    https://joaquimalexandrerodrigues.blogspot.com/2018/11/nuvens-pesadas-suspensas-sobre-muitos.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande Alexandra, encaixa como uma luva...

      Eliminar
    2. é a cara do trovoadas. fantástico, alex! :)

      Eliminar
    3. infelizmente, o Olho de Gato, às Vezes com Unhas, está demasiado encafuado no seu caixote de produtos melómanos & poéticos (é sabido aquilo de que os gatos gostam...) para apreciar a simultaneidade :)

      Eliminar
  2. Coitado!!...Então o pobre homem andava com um coração emprestado?
    Que coisa triste, Cigano!
    Diz-lhe que lhe cedo o meu...:)
    Beijos, Manel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tu cedes assim o coração a qualquer desconhecido? :)
      beijos, Janita

      Eliminar
    2. E porque não? Também não te conheço e há muito que te dei uma boa parte dele...:)
      Bom fim-de-semana, Cigano.
      Beijos.

      Eliminar
    3. oh... que até fiquei sem jeito... nã devias... nã sou boa rés... nã devias...

      Eliminar

Enviar um comentário