sapateiro

o sapateiro matou-se, disse a minha mãe. 
nunca vi o sapateiro, mas imaginei-o caminhar um pouco curvado pelo parque, sair do caminho em cimento e despedaçar as pequenas flores no escuro. caminhava devagar, com alguma solenidade, uma corda enrolada no ombro, com um laço bem feito. 
dias antes ensaiara aquele trilho, escolhera a mais robusta das árvores e um ramo capaz de o suportar. não imagino no que pensou enquanto se encaminhava noite a dentro para o último encontro, mas é possível que tenha afagado o tronco áspero da árvore como se fosse um poldro macio e quando saltou, duas lágrimas rolavam-lhe pela face. 

Comentários

  1. Que os sapateiros, desta vida, encontrem a paz procurada.

    Beijo afilhado mailindo

    ResponderEliminar
  2. No post anterior falavas do sapateiro, Manel?
    Muito triste, quando se perde a vontade de viver.
    Triste demais.

    Beijos, Manel.
    Fica, tu, bem.

    ResponderEliminar
  3. Ao que pode chegar a tristeza! É difícil compreender, sobretudo quando se ama e se luta pela vida. Mas já conheci vidas assim atravessadas pelo vazio. O que fazer por elas?
    ~CC~

    ResponderEliminar
  4. ...por vezes a escuridão é tão opaca e egoísta. Que todas as almas encontrem o seu sentido para a vida, na vida.
    Simone Weil diz : A nossa vida é isso: espera na certeza e na inerteza, expectativa contínua. É o lugar da não resolução, mas da vigilância; não do encontro, mas da confiança e da abertura;não da posse, mas do desejo; não do acabamento, mas da imperfeição; não da infalibilidade, mas da paixão.

    Boa semana, Manel

    ResponderEliminar
  5. Tenho pena de quem cá fica. Quanto ao sapateiro consegue assim a paz que tanto queria.
    Acerca do suicídio tenho duas opiniões contrarias:
    É um acto de coragem conseguir acabar com tudo
    É um acto de cobardia, pois não teve a coragem de "aguentar" ...
    anonima

    ResponderEliminar
  6. o suicídio não é mais do que um pedido de socorro (não incluo quem opta, pelas razões que conhecemos, pela eutanásia). Isto está provado, mesmo admitindo excepções, que sempre existirão.

    penso naquilo que escreveste, querido Stormy, e nas duas lágrimas augando as daninhas sob a árvore de áspero tronco...

    um beijinho para ti, gordo :)

    ResponderEliminar
  7. p.s. - gordo é o beijo, não tu (eu e as vírgulas temos uma relação difícil :)) que te imagino mui elegante.
    p.p.s. - quando escrevi "pedido de socorro", deveria ter acrescentado (está provado) que alguns têm "sucesso".

    ResponderEliminar
  8. Quando a tristeza empapa o corpo até aos ossos, nem um bom sapateiro resiste.

    Beijo, Manel das tempestades

    ResponderEliminar

Enviar um comentário