Jesus

Jesus aparece no meu sonho. Nunca o vi antes, mas sei que é ele pelo olhar apático, sujo de pó da cabeça aos pés. Jesus fez sete anos, mas já se esqueceu do dia e espreita a lua cheia por uma frincha. Teme fechar os olhos agora que os bombardeamentos acalmaram, e sonhar com nuvens esverdeadas de cloro e bebés sufocados com ácido clorídrico. A lua fica escondida por breves instantes, preenchendo os cantos de sombras assustadoras, mas volta logo a dominar o céu com o seu círculo perfeito. Jesus cede ao sono e sonha que pulamos, metamorfoseados em rãs, na superfície tranquila e sem cor da lua. 

daqui

Comentários

  1. A lua será sem dúvida o lugar mais tranquilo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. andam todos a pensar que um dia podemos viver na lua... ou noutro sítio que nã aqui

      Eliminar
  2. Nesse horror o pai de "jesus" terá dormido também.
    Na verdade, anda a dormir há demasiado tempo.

    ResponderEliminar
  3. Pergunto me tantas vezes o que leva os homens a preferirem a guerra à paz, destruindo a vida de milhares de inocentes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é tudo uma questão de números... há quem plante guerras como se plantasse feijão. Também dá imenso jeito para esconder podres...

      Eliminar
  4. Tanto pesadelo, tanto pranto, tanta pomba assassinada...
    Não gosto desses sonhos, Manel!
    Nem sequer quero sair daqui. Há lá melhor planeta, para viver, do que
    este nosso, Azul? Em Marte é só pó e na Lua é só pedregulhos. Gosto de água , de mar, de rios, ribeiros e lagos.
    Não vás, Manel...

    Beijos. Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. estarem certos de que podem contar com outros satélites e planetas para casa no futuro é uma boa desculpa para os que andam a estragar a terra.
    a impotência que sinto na resolução de um drama tão grande como o que assola as crianças e civis vitimas de guerra deixa-me doente .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sinto-me inútil... e nada do que faço parece ter sentido

      Eliminar

Enviar um comentário