escultura

O homem que se apaixonava todas as quartas-feiras pela mulher boa, chegou à quarta-feira com o estômago cheio de borboletas como era habitual. Eram brancas-dos-bosques, pequenas e de voo lento, e no momento em que a mulher boa surgiu, começaram a sair-lhe pela boca, como nunca antes havia acontecido. O homem que se apaixonava todas as quartas-feiras ficou gelado, com a boca cheia de escamas e as pernas a fraquejarem, como se deixasse de ter sobre elas domínio. O seu rosto empalideceu, perdeu o sorriso que lhe era natural. Com os olhos opacos, quase cego, esfregava compulsivamente o sangue que manchava os nós dos dedos no rebordo da camisola. O homem que se apaixonava todas as quartas-feiras sabia que tinha terminado. Era o fim das borboletas, dos suspiros, das dúvidas que o atormentavam. Como um feitiço que expirava o prazo, ou um novo lançado às costas. Ou então apenas uma subtracção do que está em excesso.


Comentários

  1. Subtraindo os excessos, viria à tona, aquele afilhado que sei escondido, em todo o seu esplendor.

    Uma beijoca da madrinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ehehehehe... eu e esplendor nã sei se combina.
      beijos madrinha mais linda

      Eliminar
  2. Ai, Manel, Manel...apetecia-me dar-te dois estalos a ver se acordas!!
    Como é possível terminar com excessos quando se acredita que existem mulheres boas? Qual boa, qual carapuça!! Toda a gente guarda em si um pouco de doce e azedo... isso é que dá encanto à vida e às relações...Só me dás ralações, rapaz...

    Beijo, cigano. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, ciganito, desculpa lá ter entrado, intempestivamente, pela tua casa dentro, dessa maneira tão agressiva. Mas sabes?... Gostava tanto de te saber feliz...Perdoas-me?

      Eliminar
    2. Janita catita, entra como quiseres, às estaladas ou aos abraços, mas só nã te rales demais que isto nã te merece... a mulher parece boa, pelo menos aos meus olhos, mas acho que finalmente acordei.
      bom dia Janita, beijos e abraços

      Eliminar
    3. Tens um coração do tamanho do mundo, Manel!
      Bem hajas. :) Prometo que não voltarei a abusar da tua cordial e acolhedora hospitalidade. Tu mereces o melhor. Sempre.

      Beijos e bom fim-de-semana, cigano. :)

      Eliminar
  3. nunca se subtraem as borboletas. tenho aqui uma há semanas, dourada de traça. nem sei como sobrevive. ontem uma amiga entrou cá em casa e ela pousou-lhe na pálpebra. espero que seja bom sinal.
    (sabias que é mais fácil ir a nova orleães do que à aguçadoura? isto não me sai da cabeça...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. dizem que é sorte quando a borboleta pousa numa pessoa, mas também pode ser falta de água... tens dado de beber à traça?
      nã subtrai as borboletas, elas é que resolveram ir à vida...
      (nã vejo como possa ser mais fácil ir a nova orleães... fui ver onde era a aguçadoura e fiquei com a sensação que já lá tinha estado)

      Eliminar
    2. dou de comer aos pardais, só me faltava dar de beber à traça...
      (pensa bem... dizia pina bausch i’m not interested in how people move; i’m interested in what makes them move. pode ser mais fácil ir a nova orleães )

      Eliminar
  4. Não há como fugir dos feitiços. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. estou a considerar se isto nã será antes uma maldição... e uma maldição é ainda pior que um feitiço.

      Eliminar
  5. Vai lá buscar um haiku, que estás a precisar de um oráculo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tou a ficar senil... agora esqueço as passwords
      qualquer dia fico sem blog...

      Eliminar

Enviar um comentário