guião

Segurei-lhe a porta, mas continuei a conversar com o segurança que estava no postigo. O que ele tinha para me dizer não me interessava verdadeiramente, mas tinha servido de desculpa para esperar por ela na saída. O homem não se calava, misturando diversas línguas que cavalgavam desenfreadas, como uma debandada de gnus em direcção aos meus ouvidos. Ao contrário do que seria espectável, ela não saiu e ficou na porta aberta, interessada no que o segurança descrevia como um veículo em forma de cinzeiro, ou uma piscina cheia de enguias, vá-se lá saber. Despedi-me do homem desejando um bom fim-de-semana e saímos juntos, caminhando lado a lado até ao fim da rua.
-O que foi que aconteceu? Perguntou quase sem mexer os lábios. -Não faço ideia, respondi. Ela riu e esperou que eu falasse sobre o tempo, ou sobre a frequência dos autocarros na paragem seguinte. Tinha tudo programado, e quando fiquei a segurar a porta e a ouvir sem ouvir a algaraviada do segurança, elaborei ali mesmo um guião bastante complexo e de tal forma interessante que, para além de preencher todo o percurso até ao fim da rua, ainda ficaríamos a conversar uns bons minutos, sem sentir o frio, embrenhados no assunto.
Quando o fim da rua se aproximou, não tinha aberto a boca, nem para dizer que amanhã era provável que chovesse, ou que o próximo transporte passava daí a 10 minutos. Ela seguiu pela esquerda, eu pela direita. Bom fim-de-semana.



Comentários

  1. Como guionista não sei, mas como interprete morrerás à fome. Escolhe outro caminho :-)

    Beijo afilhado mailindo

    ResponderEliminar
  2. Há uma mulher que fala com as árvores - começa assim.
    Caramba!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã depende daquilo que lhe possa dizer... mesmo a frase mais inteligente e genial vai sair estúpida e descontextualizada... se sair. isto só pode ser uma maldição.

      Eliminar
  3. é o problema da planificação, do pormenor cronometrado, digo eu que estou sentada à distância, tentando escalpelizar a situação.
    boa semana.

    ResponderEliminar
  4. que parva! :)
    não pensaste na hipótese de beber um copo com o segurança, após o turno?
    please, do. Quem sabe, encontrarás uma excelente ouvinte, conversadora.
    you'll never know, unless you try it :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hum... é possível que estejas coberta de razão...

      Eliminar
  5. Que raio!! Já parece mau-olhado. Ficas tu com a língua paralisada, mesmo que tenhas a conversa toda planeada na tua cabeça, e ficam as moças que saem contigo.
    Que tal usares linguagem gestual? Tenta, Manel, tenta de qualquer maneira, mas não desistas.
    :)

    ResponderEliminar
  6. Oh Manuel, perceba a moça, um segurança que fala em piscinas de enguias tem o seu interesse...
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é possível que tenha... mas interesse que o mau tempo

      Eliminar
  7. O melhor guião é aquele que ainda está por escrever,
    depois de fazer por acontecer,
    antes de o fim da rua aparecer.

    Acredita.

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mam'Zelle poeta!
      infelizmente deixei de acreditar... já metia nojo

      Eliminar
  8. Ah, cigano...
    Essa mudinha não te merece. Atira-a ao rio e anda beber rum!

    ResponderEliminar
  9. Quem sabe se também ela não teria um guião pensado... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é muito enigmática... ou temos um problema de comunicação :)

      Eliminar
  10. Ah... o imaginário. Contudo, é sempre preferível o imaginário. O exílio do imaginário é uma espécie de longa insónia. ;)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário