galaktyka

Não levou mais de um milésimo de segundo. 
A cara dela, o corpo dela, a poucos centímetros de colidir comigo. 
No último nanossegundo, enquanto o universo se expandia para cantos que não existem, ela recuperou o equilíbrio e voltou confiante à sua orbita. 
Recomponho-me. Minúsculos vasos por baixo da pele explodiram, mas ela não sabe.
A noite está fria e o céu encoberto. E levo num bolso a esperança de que um dia ainda colidamos.  E será como as galáxias que se fundem e espalham pelo cosmos mil milhões de estrelas. 

The Antennae galaxies

Comentários

  1. Cuida bem que esse bolso não se rompa!

    Beijos, Stormy boy :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. com tanta esperança estacionada, nã sei se eles aguentam:)
      beijos Tutu

      Eliminar
  2. Se ela não colidir contigo, colide tu com ela, Manel!
    Quero ficar aqui sentadinha a observar o resultado dessa colisão, esses biliões de estrelas a espalharem-se pelo firmamento. Ena tantas e tão brilhantes...:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ainda parto a moça em partes... é melhor que seja ela a colidir :)

      Eliminar
  3. Às vezes temos de contrariar o universo... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. às vezes nã sei, porque a sensação é diária...

      Eliminar
  4. Até nessa quase colisão, vi brilhar as estrelas. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. só vi uma, mas juro que gostava de ter ficado a ver muitas :)

      Eliminar
  5. Respostas
    1. quando penso que é hoje, e atesto o depósito de coragem, o universo vira-se de patas pro ar e lá se vai a oportunidade...

      Eliminar
    2. tens aqui um bom número de leitoras a quem te dirigires para te aconselharem. escreve-lhes :)

      Eliminar
  6. Como um nanosegundo malvado pode mudar tudo... evitar Big Bangs e outros que tais... ou prepará-los melhor, quem sabe... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nanosegundos são como microorganismos patogénicos oportunistas, sempre à espera...

      Eliminar
  7. Sou a favor da ideia de provocares o acidente. Já não tenho paciência para o Universo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é um problema de paciência... mas julgo que foi o universo que desistiu...

      Eliminar

Enviar um comentário