nimbus

Aconteceu em meados de agosto o senhor mau-tempo precisar de dinheiro para mandar remendar uma canalização de humor, tendo por isso vendido o seu rebanho de nuvens no olx. Era um bom rebanho de cumulonimbus prateados, quase a desenvolverem para supercélulas, mas colocados à venda na pior altura do ano. Por volta das cinco o primeiro interessado apareceu, coberto por uma burca escura que só se lhe via os olhos. Primeiro o estranho quis ver a mercadoria. Tirou uma fita negra do bolso e mediu todos os perímetros, confirmando os quinze quilómetros de altura. Fez algumas perguntas, tirou fotos e depois mostrou interesse em levar juntamente os suportes. O senhor mau-tempo prontificou-se logo a desmontar toda a estrutura onde as nuvens estavam suspensas, para não ganharem fungos. É que as nuvens, principalmente da espécie nimbus, podem ficar escleróticas se deixadas em superfícies sólidas, ou em zonas com luz directa. Por isso o senhor mau-tempo mandara colocar na salinha das traseiras, um engenhoso complexo de estendais onde as nuvens ficavam suspensas e abrigadas do sol, arejadas por uma goteira que vinha do frigorífico. Quando o senhor mau-tempo estava a empacotar a última nuvem, e suava como uma bica aberta, o estranho homem coberto da cabeça aos pés recebeu um telefonema. O senhor mau-tempo, que é pessoa de pressentir certas energias nas coisas e nas pessoas, pressentiu que talvez aquele sujeito não fosse sério e que talvez tivesse sido boa ideia pedir um sinal antes de se dar a tanto trabalho. Então quando o homem terminou a chamada e disse: "afinal não levo nada", o senhor mau-tempo não se surpreendeu, e com toda a calma que ainda tinha em fim de prazo, pegou no homem pelas extremidades da burca e defenestrou-o contra a parede. Tanto trabalho a desmontar os suportes, a empacotar as nuvens em plástico bolha, gastara quase um rolo de cuspe sintético, e agora tinha de desembrulhar todo o rebanho, voltar a montar os suportes e colocar de novo em cada um, desenevoadas e sacudidas, as suas queridas nimbus. 


Comentários

  1. Podias abrir um outlet! Se já são da estação passada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e vender nuvens ao preço da chuva? nem pensar...

      Eliminar
    2. Nesse caso talvez as queiras enfeitar com estrelas do mar.

      Eliminar
  2. neste momento, há um ror de pessoas interessadas em chuva, e quiçá nas nuvens, num lugar que eu conheço e habito, onde até já ouvi recomendações sobre preces para que a dita chuva apareça. ora, estando perante um negócio que pode contentar ambas as partes, ofereço-me como mediadora, dispensando comissão. se o senhor mau -tempo estiver disponível para discutir pormenores e formas de pagamento, conhece o endereço.
    estimadamente,
    Eu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já tive muito jeito para o negócio, mas actualmente parece que só faço más escolhas. já vendi as nuvens, na pior altura está visto...

      Eliminar
  3. Ai, Manel...dedica-te a outro mister, assim não passas da cepa-torta, rapaz!
    Que tal dedicares-te ao ramo da beleza natural orgânica...tás a ver, nã estás?
    Ou, quiçá, a uma quermesse de venda de beijos??
    Enriquecias num abrir e fechar d'olhos! :)




    ResponderEliminar
  4. E eis que a Janita te diz como ficar rico num instante, e eu acho que ela tem razão, a falta de beijos está na mesma proporção da falta de chuva. Das-te conta do manancial? :-))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. achas mesmo? tenho a sensação que nem de graça...

      Eliminar
    2. Experimenta, senão, jamais o saberás...eu compro-te os primeiros do dia, para serem fresquinhos...a Maria Antonieta, fica com os requentados do final do dia...ehehehe
      Topas?

      Eliminar
  5. Hoje em dia não se pode confiar em ninguém... Com esse contratempo, como o é que senhor mau-tempo arranjou dinheiro para o remendo da canalização? O sinal foi suficiente? O humor está a salvo? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã foi fácil mas lá acabei por vender as nuvens... no entanto, mal chegou para os remendos... o humor é capaz de ter os dias contados...

      Eliminar
  6. vai ver se te fugiram.
    ontem, na auto-estrada, fiquei com os olhos colados numas dessas que falas e quase que me espatifei toda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vendi todas... nunca imaginei sentir este vazio...

      Eliminar
    2. escafedeste-te...e eu seco...

      Eliminar
  7. Pertenci em tempos à cloud appreciation society. Gente séria, agregam-se apenas porque gostam de nuvens.
    Continuo a gostar de nuvens. Sei os seus nomes científicos e atraso-me sempre que encontro nuvens pelo caminho mas já não sou associada não gosto de arregimentar.

    ResponderEliminar
  8. Pois é, sr Manel, tanto para o bem como para o mal, cada um só tem o que merece!!! :)))

    É bom, ter pressentimentos, os choques nã são tão grandes.

    Boa semana, sr Manel!

    ResponderEliminar
  9. Manel, aqui te trago a nova colecção OUTONO/INVERNO de nimbus, e tudo o mais que precises, para que possas recomeçar a tua actividade aqui no estaminé.
    Bolas! A este senhor Mau-Tempo tudo lhe serve de pretexto para fazer greve.
    Anda lá, senão levo o stock para outro comerciante da concorrência...

    Cá te aguardo! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. agora bateu cá uma saudade do meu rebanho... até acho que se me escapou uma lágrima :(

      Eliminar
    2. Com tanta saudade do teu rebanho, trago-te um novo e nã dizes nada, Manel?
      Viste bem a nova colecção de rebanhos?
      Masoquista, que tu és, cigano... Aproveta!...Olha que a cavalo dado...
      Aquilo é a coisa mailinda em matéria de rebanhos. Vai lá ver.

      Eliminar
    3. eu vi, eu vi, por isso senti saudade... são lindos sim senhora, de pasmar, mas nã entendi que eram pra mim :)

      Eliminar

Enviar um comentário