quinta-feira, 10 de agosto de 2017

serrote

isto das novelas e dos romances de faca e alguidar não são invenções recentes, e se agora vendem muitos livros, imaginem o impacto que tinham quando nem sequer havia televisão, ou rádio, ou escrita, e o pessoal se entretinha em volta de uma fogueira a ouvir histórias que nem sempre tinham finais felizes. na Grécia antiga não era muito diferente, mas para não parecer assim tão mal chamaram-lhe mitologia. temos por exemplo o caso do senhor Dédalo, conhecido por ser pai daquele moço, o Ícaro, que resolveu voar até ao sol e ficou mais do que bronzeado. era um inventor muito conceituado naquela época, mas foi obrigado a fugir de Atenas porque, segundo reza a história, num acto de raiva, empurrou o sobrinho Perdix por uma ravina, só porque este inventou o serrote e outras cenas muito à frente. Dédalo não era boa pessoa, mas tinha muitos contactos, convivia na altura com gente famosa e dai que conseguiu refugio em Creta, onde conheceu o rei Minos. mas Dédalo era dado a meter-se em sarilhos e deu consigo numa valente alhada quando resolveu ajudar a mulher de Minos, Pasífae, construindo-lhe uma vaca em madeira, tão perfeita que enganou o touro branco de cornos dourados que Minos tinha recebido de Poseidon. da relação de Pasífae com o tal touro nasceu o lendário Minotauro, que foi mantido num labirinto projectado por Dédalo. quando o rei descobre que a mulher foi ajudada pelo inventor, este foge de Creta com Ícaro, usando umas asas construídas de penas e cera. o que aconteceu ao pobre moço já todos sabemos, mas Dédalo salva-se e consegue chegar à Sicília, onde novamente se torna famoso e o preterido do rei Cócalo. quando Minos descobre que Dédalo está vivo, exige ao rei da Sicília que o entregue para ser punido. mas Cócalo não está preocupado com a raiva de Minos e ignora o pedido do monarca. este então resolve invadir a Sicília, mandando para lá uma horda de selvagens. mas Cócalo não é completamente estúpido e quando vê aquele pessoal a invadir as belas praias, resolve ir pessoalmente ter com Minos e convida este para o seu palácio. o desfecho é inesperado. Cócalo assassina Minos durante o banho, fervendo o monarca de Creta em água fervente. 

Laerte Coutinho 

17 comentários:

  1. ainda não há uma hora fiquei a conhecer essa senhora.
    ótimas tiras, pelo que espreitei.
    continuação

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o difícil foi escolher uma tira em muitas :)
      boa noite

      Eliminar
  2. que horror...quero ver o que vou sonhar esta noite...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sonhei com motociclos conduzidos por artistas de circo...

      Eliminar
  3. Estou a ler " A Ira das Fúrias" do Steven Saylor. Com o romano Gordiano, passado em 88 a.c. Conheces o autor? Deves gostar. Deste livro. dos outros dele não sei ( a coleção sub rosae).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nunca li, mas gosto da ideia :)
      estou a ler "Uma abelha na chuva" do Carlos de Oliveira... ias gostar :)

      Eliminar
  4. ...achei a ajuda para sair do labirinto um pouco molhada, poderá se impressão minha[risos]

    ResponderEliminar
  5. No fundo, já está tudo inventado. Sobretudo as histórias.

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. A palavra confusão vem directamente do latim confusĭo, onis, "ação de juntar, reunir, misturar"; (...) no séc.XIII confugyõ, XIV cõffussom, XIV cofujon, XIV cõfusam.

      [Fonte: Dicionário Eletrônico Houaiss]

      Eliminar
  7. Agora, para ficar o "ramalhete" completo, a novela é feita no México e quando por aqui chegar, será dobrada em "brasileiro".

    Joaninha

    ResponderEliminar