domingo, 25 de junho de 2017

volátil

Já tinha decidido esquecê-la quando apareceu na noite de quinta, transmutada num sonho. Disse-lhe coisas desagradáveis, mas mesmo assim ela não arredou pé, conservando um sorriso que podia ser de troça ou desequilibrado. Precisava de uma amostra do meu sangue. E eu que até estava capaz de a destratar pela tampa que me deu, rendi-me à ideia de lhe ceder sem hesitar uma parte de mim. É só um pouco, disse, encostando-me na pele do braço um capilar de vidro muito fino, aberto no fundo. Não senti qualquer dor, apenas a proximidade magnética do seu corpo que eu não via, hipnotizado pelo liquido vermelho vivo que subia lentamente na extremidade do tubo. 


21 comentários:

  1. Carago afilhado, vendes-te por trocos ahahahah

    Elas já viram - é um fácil :-))

    Beijokas da madrinha

    PS: Ainda não aprendeste a dormir?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e tu? que andas a comentar cenas às 3 e pico? nã tens palha na cama? :D
      beijos

      Eliminar
    2. Eu? Eu ainda não sei dormir :-))

      Eliminar
  2. E para que quer o sangue? Algum ritual?

    ResponderEliminar
  3. A imagem é muito interessante, assim como o teu texto, Manelito.
    Fica um beijo Moço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ando desinspirado... é do calor :)
      beijo, moça :)

      Eliminar
  4. Mas porque raio as coisas têm de ser sempre assim, não é, Manel?
    Quando já estamos prestes a votar ao esquecimento aquilo que nos fez mal, lá vem uma recaída.
    Basta um sonho, uma miragem, uma visão, enfim...e tudo nos abafa e nos devora.
    Estou dramática, não estou? Ando a estudar Arte Dramática cá na Academia do Bairro.

    Mas, quanto ao teu sonho...isso é o teu subconsciente a preparar-te para que percas esse medo irracional de tirar sangue, para aquelas análises clínicas que andas a adiar há muito, sabes?
    Aquela antiga relação à maluca lá no celeiro...Hummmm...coelho e porca? Não sei, não...:)

    Beijos, Manel. Gostei de te rever, escorreito e sempre lindo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. por acaso detesto tirar sangue... mas ali foi diferente, estava tranquilo, manso, muito manso :D
      aquilo é uma porca? acho que é uma loba... ou uma cadela :D
      boas aulas, beijos

      Eliminar
  5. Tramado o nosso subconsciente... Nem nos sonhos nos deixa sair na mó de cima! Se ela ainda te assombra, vê lá é se consegues que ela te inspire ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já levei duas tampas... quem leva duas, leva três :)

      Eliminar
  6. também vinha perguntar para que quereria o sangue, mas vi a resposta em cima.
    que sonho perturbador...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã era nada perturbador :) acordei feliz da vida, só nã queria ter acordado...
      se calhar nã me expresso bem, o sangue era como um pacto, sem dor, uma aproximação...

      Eliminar
  7. antes de ires dormir, tens de ver um filme de terror e tomar um duche...frio. para não pensares mais na tua ex.
    antes acordar com um pesadelo de morrer do que acordar a pensar na ex...ainda mais porque foi malandra contigo (para não dizer um palavrão).
    anónima preocupada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ela nã é minha ex... teve a sensatez de me dar com os pés antes de ser fosse o que fosse...

      Eliminar
  8. não lhe dês nenhuma parte que te faça falta. de resto...perdido por cem, perdido por mil (só para te animar).

    ResponderEliminar
  9. E você quis compartilhar com ela algo que é somente seu. Isso quer dizer muita coisa, afinal.; )
    Alguns sentimentos são mesmo indestrutiveis.

    Beijos, Manel!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela já deu pra trás, os sonhos é que se esqueceram de actualizar :)
      beijos, Helena

      Eliminar
  10. Pois os sonhos têm essa mania de nos atirar à cara que decidir esquecer é o mesmo que decidir enfrascar o vento... há coisas que não se decidem, com sorte acontecem.

    ResponderEliminar