domingo, 30 de abril de 2017

ouriçar

O problema de não conseguir escrever é em parte também consequência de não ler. Ultimamente não leio. Absolutamente nada. Mas tudo me faz falta. É como se respirasse só com um pulmão, mastigasse com metade da boca. É como estar embriagado, mas ressacado ao mesmo tempo e não conseguisse escapar pela estreita fenda da inibição. O que me salva nestes dias são os sonhos. O último foi com mamas, muitas mamas, algumas tão grandes que nem via o sol. 


17 comentários:

  1. Mas isso assim, a ponto de não ver o sol, já me parece mais pesadelo do que sonho... :)

    ResponderEliminar
  2. Actualmente a minha apetência para escrever e vontade de o fazer não estão muito relacionadas com a leitura, que já testei isso. Tem mais que ver com a capacidade de processamento do que se passa, à volta e dentro de mim. Percebo que "o para quê?" é aquela pergunta que pode deitar tudo a perder no exercício da escrita e é a questão da qual me esforço bastante para desviar. A isto ainda se junta o facto de num momento o querer escrever revelar-se importante, para passados uns minutos ou horas se converter no não valer a pena.

    Manel, pelo menos sonhas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. em parte também é isso, mas como evito escrever sobre os meus tormentos, só me sobram os sonhos ou as ideias que possa roubar daquilo que vou lendo... vontade de escrever tenho sempre, podia passar o dia nisso :)

      Eliminar
  3. Pois é…se me fartei de debitar sobre o teu sonho anterior, agora a coisa está difícil. É que de mamas alheias não sei nada. Bem bem só conheço as minhas, mas não parece apropriado e decente vir para aqui falar das minhas mamas, dos apertões das mamografias, de mamilos eriçados, da sacana da gravidade de Newton, push ups, copas (só deves conhecer a do mundo), aros, enchimentos, acetinados e rendados, excitações e afins.
    Agora que a coisa me parece grave, muito grave, lá isso parece.
    Sonhar com mamas, mais mamas, mamas obesas, gigantescas, tantas mamas e ainda mais mamas…tem de ser um abafamento, sufocante, opressivo, um afogamento em mamas, submerso em mamas.…isso não é um sonho. É um pesadelo asfixiante...coitadito de ti…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eram grandes mas nunca me senti a perder o ar :) mas também havia pequenas, e vinham tipo linha de montagem ao nível dos meus olhos... a intensidade de loucura aumenta :)

      Eliminar
  4. Eu sonho com tudo que adiei. Quero me livrar mas o trabalho persegue-me.
    Já mamas...só as minhas. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também nã consegui completar a minha lista, nem a meio fiquei...

      Eliminar
  5. Manelinho, afilhado meu, se por um lado estou feliz, deste a cara, por outro não sei se esteja, que raio de sonhos tão sem medidas ahahahahah

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. dava a cara e mais qualquer coisa pra voltar a escrever como antes...
      beijos madrinha

      Eliminar
  6. Essas são mesmo ouriçadas, Manel!
    Sonhos assim, só de ver e não poder desfrutar
    é de perder a vontade de voltar a sonhar com tal manancial...:)
    O melhor será aliviar-lhes os picos...

    Beijos Manel, "O Sonhador".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. consegui um título com sentido...
      nã havia ouriços no sonho, mas também só me era dado a ver com os olhos :)
      beijos Janita

      Eliminar
  7. E, para um gajo, tudo se resume a mamas grandes.
    pfffffffff...


    Fui.


    ;p

    ResponderEliminar