quinta-feira, 2 de março de 2017

balbuciar


Separados por menos de um metro e não lhe consegui dizer que não sentia a cara quando estava perto dela. Ou o que quer que fosse. Tinha um amigo que quando bebia demais, começava por deixar de sentir o queixo, e depois gradualmente o resto do corpo. Ela não disse nada. Isto são péssimas noticias. Desconfio que o fim pode acontecer antes do início, e sim, isto pode também ser o fim de tudo. Era suposto a escrita afastar-me da loucura, mas sinto que nos aproxima. 


21 comentários:

  1. Respostas
    1. quando se sente muito, depois nã se sente nada... tipo dessensibilização dos receptores

      Eliminar
  2. Ficas embriago por ela afilhado? Qualquer forma de dependência é mau, é péssimo. Devias pensar em pensar mais em ti, porque embora seja frase batida é verdadeira - só podes gostar de alguém, quando gostares de ti - quando isso acontecer vais ver a sorte muda.

    Beijinho da madrinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas a paixão é um não-vício... diminui a adicção com o uso!
      beijos do afilhado chato como a potassa

      Eliminar
  3. Céus, cigano...
    Deixar de sentir a cara não é coisa que se queira!

    ResponderEliminar
  4. Essa insensibilidade dos músculos faciais é semelhante à embriaguês dos sentidos.´
    Não sei se isso é bom ou mau. para mim o pior é o mutismo dela. Tanto te sorri como de ignora?
    Se a escrita te aproxima dela, passa a escrever sem falar nela. Só sabes falar de atracções fatais?
    Fala das andorinhas que vêm aí, fala dos pardais e de outras coisas mais...

    Beijos, Manel.
    ( já nem sei que mais te diga )

    Ah, ainda me lembrei a tempo. Vai mas é ver dançar a minha bailarina que sempre alegras a vista. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sempre escrevi sobre o que me apetece, seja atracções fatais ou teses sobre mamas que apontam para o céu :) tem paciência, atura-me assim sem andorinhas ou pardais, prometo que um dia compenso :)
      beijos, Janita

      Eliminar
  5. A canção é gira mas também não ajuda nada...

    Sou eu, a Janita!!

    ResponderEliminar
  6. antes a cara do que...
    anonima :):)

    ResponderEliminar
  7. Olá Manel :)
    Desculpa "entrar sem bater"... mas ouvi música e fui entrando.

    "Can't feel your face when you're with her"!?
    Isso pode ser mau! Só espero que "ela" não seja uma metáfora... como, por exemplo, a bebida... ou a cocaína no caso da música do Weeknd.

    Beijinhos desadictivados
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "ela" é ela, a minha Dulcineia, Julieta, a minha desgraça mais recente :) nã ganho para vícios...
      beijos Afrodite, mi casa es su casa!

      Eliminar
  8. Não deixes de sentir é nada, faxabor.
    Que a gente quer-te aqui a desfiar coisas bonitas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o fio tem andado esgotado :) principalmente o bonito

      Eliminar
  9. eu acho é que a escrita ajuda a encarar a loucura como uma virtude, o que é bom. não é bom é deixares de sentir o corpo...vê lá...
    vai ao mar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas e as coisas que imagino que ela posso dizer ou fazer, e que depois nunca acontecem?

      Eliminar
  10. Ah Manel, convida-a para ir beber um sumo de laranja natural vá, ela tem ar de quem gosta disso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas sumo de laranja natural arrasaria por completo o meu orçamento :)

      Eliminar
    2. [Manel, se ela não merece que tu dês um desfalquezito no teu orçamento, é porque não é a tal. ;)]

      Eliminar
    3. desfalquezito? nem sei se ela tem namorado... acho que por enquanto nã é um investimento seguro!

      Eliminar