quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

vaga

“Aberto” podia ler-se do lado de fora na tabuleta dupla que ainda oscilava na porta. Uma mulher entrou na loja e foi directa ao balcão onde o funcionário ajeitava as últimas geadas que haviam chegado na entrega das seis. Quando se virou e deu de caras com a cliente, quase morreu de susto. A mulher trazia a cabeça coberta com um gorro de pelo negro e um cachecol de lã rosa tapava-lhe a boca e as bochechas. No interior da loja fez tenção de tirar as luvas, mas arrependeu-se de imediato. Ali fazia tanto ou mais frio como lá fora, só assim se conservavam trovoadas e granizos em frascos e vasilhas. Eram prateleiras cheias desde o chão até ao tecto. Mas a mulher não perdeu tempo a olhar para as âmbulas de borriço, ou para as bomboneiras de vidro fosco cheias de cacimbo. Ela nem sequer olhou para o aquário de nuvens que se estendia pelo fundo da loja, nem tão pouco se interessou pelos sinistros canopos ornamentados com figuras de deuses, onde se armazenavam tornados e ciclones em pó. 
-Olhe, eu queria qualquer coisa para a vaga. Disse a mulher com o cachecol à frente da boca.
-Para a vaga? Perguntou o funcionário, carregando bem na tónica da “vaga”.
- Sim, para a vaga. Insistiu a mulher, afastando o cachecol da boca. Preciso de algo para acabar com esta vaga de frio. Explicou. Não se consegue viver assim, é impossível, tenho vinte camadas de roupa sobrepostas. Disse a mulher, a quem saia pela boca nuvens de vapor quente. O frio não me deixa mexer, nem pensar, nem dormir, isto mais parece um pesadelo. Já viu onde estão as temperaturas? 
-Pois não sei como a posso ajudar. Disse o funcionário olhando para as estantes cheias de perturbações atmosféricas. É que sabe, nós aqui é mais mau-tempo. 


Roald Amundsen

35 comentários:

  1. Ehehehehehe....A senhora foi logo bater à porta errada. Raios e coriscos!!!

    Adorei isto, Manel. :)
    Tens uma mente prodigiosa que se adapta às condições climatéricas mais agrestes e delas tira proveito, com inteligência e mui talento. :)
    És um génio...do mal! eheheh

    Vai um abraço para aquecer? :)



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, Maria, Maria, como diz a música, mil desculpas por ter passado o teu comentário sem responder... achava que tinha dado resposta, mas quê dele?! Aceito de bom grado beijos e abraços, nã sou de desperdiçar festas :)

      Eliminar
    2. A música Maria, Maria, Maria, que eu conheço é a do musical West Side Story.

      https://www.youtube.com/watch?v=Tgy0uUTu8wc

      Mas não me parece que seja do teu tempo...:)
      É esta?

      No problem, Manel...enganos acontecem.
      Obrigada! :)

      Eliminar
    3. claro que é essa :)
      também gosto de mozart e já nã é do meu tempo... mas essa música era muito cantada lá em casa, a minha mãe chama-se Maria e quando se aborrece, o meu pai ainda hoje canta pelo menos a parte do Maria, Maria, Maria :)

      Eliminar
  2. E a geada negra? És capaz de me salvar dela?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas porque temes a geada negra? nã há nada a temer, é só água num fundo de universo!
      beijo e bom dia, ana dos cabelos ruivos

      Eliminar
    2. A geada negra mata por dentro.
      (não sou ruiva:))

      Eliminar
    3. olha: https://pt.wikipedia.org/wiki/Geada#Geada_negra , podes pôr à venda na loja ...

      Eliminar
    4. isso só se vende bem em países em que as plantas nã estão adaptadas ao frio... aqui nem ai, ninguém pega nesse produto... até porque o nome é mau...

      Eliminar
    5. ah...pois, não me tinha lembrado. não tenho jeito para o negócio...mas esta coisa não me sai da cabeça...

      Eliminar
    6. A geada negra mata por dentro.
      (não sou ruiva:))

      Eliminar
    7. podias ser... eu chego lá por tentativas :)

      Eliminar
  3. Mente prodigiosa, sem dúvida - que de qualquer tempestadezita faz um texto lindo, bem humorado, e quase quentinho eheheheh

    Beijão afilhado mailindo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheheheeh, se consegui transmitir calor, atão foi porque tens o aquecedor ligado!
      os dias são quase bons, mas podiam ser piores... desconfio que ai está mais frio que aqui, beijo madrinha

      Eliminar
  4. reparo que, apesar da atmosfera menos convidativa, os parágrafos seguiram a ordem natural da narrativa. excelente. no meu caso, a vaga instalou-se nos vidros do carro. aquilo é uma afeição doentia. na relva do quintal do vizinho é outra desgraça. é chamego por todo o lado. agora, aguarda-se que o fornecedor de melhorias assinaláveis não demore.
    boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. conheço o sujeito, é meu concorrente há mais de vinte anos, mas desconfio que tão cedo nã há entregas de calor para esses lados :)
      boa noite, recomendo roupas quentes e saco de água na cama.

      Eliminar
  5. E a senhora não lhe respondeu "Ahhh é?... então passa para cá o Manel!! "
    Eheheh tipo assalto à mão desarmada, sei lá... ;) levava-te debaixo de asa e aquecia-se ao crepitar das tuas histórias que vêm do frio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh céus, o teu comentário insuflou o meu ego tal qual um balão se deixa insuflar com ar quente!
      olha eu vermelho, depois de ser desviado...

      Eliminar
  6. Além do vírus do Mau Tempo, frio é certo mas lindo de morrer ainda espalhas a magia das letras. És um encantados de palavras Manel :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o engraço disto é que foste tu que começaste a pedir bom tempo, e uma coisa levou à outra... nã desesperes, a primavera nã tarda!

      Eliminar
  7. Queria um aquário de nuvens só para mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tomei a liberdade de pensar nisso senhora! [o cigano carrega no botão da consola central e um aquário de nuvens surge por magia numa das alhetas do corsário]

      Eliminar
  8. eu quero o livro de reclamações! Se é para passarmos por este frio todo, então que neve. Passávamos frio mas era bonito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também achava que era bonito, até ter de caminhar na neve e no gelo e ter a sensação que nã se sai do sítio, e esperar pelo limpa-neves e só depois pelo autocarro, e nã poder correr se por azar o autocarro estiver para sair da paragem antes de lá chegarmos, e ter de segurar as senhoras de idade que caiem como pêssegos maduros nos passeios... e beber uma cerveja na rua sem que ela congele no copo?

      Eliminar
  9. Olha que bela loja essa.
    E há dias que só apetece ir lá às compras...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. apetece, mas nã compram nada... essa é que é essa... é um negócio ingrato, as pessoas só querem bom tempo, ou então só lá vão para ver as nuvens no aquário... e depois batem no vidro e elas acordam, e dá-me muito trabalho... nã estás por acaso interessado numa loja destas?

      Eliminar
  10. Isso do frio e das nuvens pode ser muito bonito por um dia ou dois mas realmente não deve ser rentável. Nunca pensaste em mudar de ramo Manel?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mudar de ramo :) como gosto dessa expressão, sinto-me quase o tarzan :)
      já pensei, mas só sei fazer mau-tempo e sopa de castanhas... achas que ainda vou a tempo de tentar outra coisa?

      Eliminar
  11. Não teria sido mais prudente ter ido a uma loja de aquecedores, salamandras e lareiras com recuperador de calor? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Carla :)
      claro que sim, mas é um erro comum pois duas lojas mais abaixo há uma farmácia e acontece muita gente lá entrar e pedir uma caixa de cloxam ou cêgripe...

      Eliminar
  12. ia lá comprar um pichorrinho de noite com estrelas e uma lua de se lhe tirar o chapéu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas que confusão, nos nã vendemos bom tempo, nem em pichorrinhos... por seres gira vendia-te uma trovoada nocturna, daquelas que acende o céu todo...
      :)

      Eliminar
  13. :) ok pode ser a trovoada, mas sem banda sonora, sim?

    ResponderEliminar