domingo, 15 de janeiro de 2017

naïf

Não é certo que fosse ela, a que tem de sair mais cedo porque tem ensaio. Mas parecia, à porta da sala, surgindo no momento em que escorregava no mármore húmido e caia no chão desamparado, e sem olhar a ver se ela tinha visto, me erguia num pulo e tentava a fuga pela porta que dava para o jardim. Foi o riso, o riso num tom baixo. Ela fala baixo, mas fala muito. E quer saber coisas e diz coisas, principalmente sobre ela. Até disse que tinha de ir embora mais cedo porque tinha ensaio. Se calhar queria que perguntasse o que ensaiava, por orgulho, ou simpatia. Mas eu não perguntei. E agora fico aqui a imaginar o que será que ela ensaia. Pode ter ido ao ensaio do seu casamento. No sonho estava sozinha, encostada na ombreira da porta a rir da minha queda. 

“ce rire naïf que vient du ventre et qui explose en cascade, comme des perles dévalant l’escalier.”
un ressui - Laurence Gaillard

aqui

16 comentários:

  1. Respostas
    1. é falta de educação fazer uma pergunta se o assunto nã for abordado?

      Eliminar
    2. Abordas tu primeiro o assunto. Imaginação não te falta, pois não?

      Eliminar
  2. Quem sabe, no próximo sonho, a jovem que ensaia e ri ingenuamente, num tom baixo, escorregue no mármore molhado e sejas tu a segurar-lhe a mão, para lhe evitares a queda. Aí, quando ela te disser 'merci', perguntas tudo o que queres saber...
    ...depois, vens contar-nos a nós. Pode ser? :)

    Beijos, Manel Mau-Tempo

    ( És um sonhador...:) )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. será que lhe posso fazer perguntas nos sonhos? :)
      bom domingo, beijo

      Eliminar
    2. O bom dos sonhos é que podemos fazer tudo, Manel. Força!!

      :))

      Eliminar
  3. com a sorte que tens, foi mesmo o ensaio do casamento dela...
    :)

    ResponderEliminar
  4. Claro que queria que perguntasses, de certeza que era algo importante pelo menos para ela. Nos sonhos é assim, as maiores revelações ficam para trás quando acordamos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lá está, tenho alguma dificuldade em entender o que é importante... mas olhei-a nos olhos, nisso nã falhei.

      Eliminar
  5. Pois, Manel, também não perguntava o que ensaiava. Mas isso sou eu que acho que há perguntas que não são para fazer se o assunto não for abordado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ela fez-me umas quantas perguntas, e falou bastante dela... o que para mim foi estranho, porque até ai só tínhamos estado juntos na presença de outras pessoas e ela quase nã falou. normalmente falo do tempo, e quando nã há mais nada, procuro tirar dúvidas sobre vocabulário ou alguma coisa cultural... e as pessoas gostam de tentar palavras portuguesas, e dizem gracias! mas nunca falam muito delas...

      Eliminar
  6. Adorei a citação.
    Seria um tico mais feliz se alguém tivesse inventado esta comparação a pensar em mim. ;)


    [mas acho que há aí uma gralhazita. Não será "ce rire naïf qui..."?


    (Mam'Zelle, em modo incognito)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já rire me faltava o e... preciso mesmo de lições... nem a copiar... maldito frances!
      :) é uma comparação muito feliz, só tenho pena de nã ter pensado nela antes...

      Eliminar