quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

วิโรธ

Aye presenciou pela primeira vez um dos meus ataques de fúria em setembro. Habitualmente sou calmo, mas com tendência para o explosivo, facilmente inflamável. É aconselhável manter a distância nessas alturas, podem voar objectos, raramente surge sangue, depois passa, fico em harmonia com o mundo. Faz-me alguma confusão as pessoas que guardam as emoções, imagino que possuam compartimentos secretos, com códigos ou fechaduras. Mas do que não gosto mesmo é de pessoas manipuladoras, que ligam o lume para que eu vá destilando lentamente, atiram achas, mantêm-me a ferver e quando atinjo o limite, ficam surpreendidas, mas aliviadas por ser eu a explodir no lugar delas. Aye diz que tenho de meditar. Diz o que já sei, que a fúria só tem um caminho, um círculo infinito. Aye quer ajudar, tento explicar-lhe que sou assim, de vez em quando preciso de libertar a pressão. Não sou de armazenar, também não sou de facadas pelas costas. Aye quer que imagine que tenho aquele homem diante de mim, aquele que ela não sabe dizer como se chama mas que fala aos domingos na igreja. Não sou católico, explico, não tenho religião. Aye fica confusa, talvez nos faltem palavras que se perderam na tradução, mas depois entende. Nem todos os ocidentais são crentes. Aye julga ter encontrado a origem da fúria.
Buddha Head in Tree Roots

13 comentários:

  1. O melhor mesmo é não acumular, gritar logo que nos pisam o calo de estimação.

    budha sim, budha não, era capaz de ser bom meditares :=))

    ResponderEliminar
  2. Bom dia sr. Manel, se conseguir ir por Aye, é bem melhor para si. A fúria desgasta e abre portas que ... Depois não sao fáceis de fechar.
    Quanto aos outros, os outros são os outros!

    Bom fim de semana sr Manel :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom fim de semana Srª Dona Flor, cuidado com as correntes de ar :)

      Eliminar
    2. :) Eu sou uma Flor do monte,nã sou de estufa, sr Manel! :))

      Eliminar
  3. gritasse eu mais vezes e não andava com o coração aos saltos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. grita, miúda, grita bem alto :D deita cá pra fora!

      Eliminar
  4. as explosões têm o dom de purificar, quem está ao redor é que pode ficar chamuscado.
    bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. Também não gosto de pessoas manipuladoras.
    Manel, já nem sei qual foi a última vez que tive um ataque de fúria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e são tipo furacão? nem sabia que tinhas disso :)

      Eliminar
  6. Caramba, como sei o que isso é! Só que os meus ataques acontecem muito raramente.

    Beijocas, Stormy boy :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olha, nã imaginava... nã imagino, tu, a libertar a fúria do Kraken :)
      beijos Tutu

      Eliminar