sábado, 2 de julho de 2016

oito

o homem que fazia trinta e oito abriu o livro no regresso a casa e sentiu que algumas letras lhe fugiam pela página na trepidação do transporte. apesar de preferir as letras aos números, o oito era confortável, familiar. podia ser prenúncio de um bom ano. fechou o livro deixando a marca no mesmo sítio e focou a paisagem que descia pela janela, depois os pássaros, seguindo a sua sustentação imprecisa. bocejou pela oitava vez. talvez fosse só a vista cansada. um débito maciço de horas de sono. 


19 comentários:

  1. Continuo a achar que depois do 40 é que é vida :))

    ResponderEliminar
  2. Manel, pois, aos trinta e oito já podem manifestar-se os primeiros sinais de vista cansada. Mas não desesperes. Hão-de vir artroses, bicos de papagaio, cansaço, serenidade, maior apetência para canalizar energias para o que vale a pena...
    Parabenizo-te novamente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. parece que foi de repente, um ano faz toda a diferença... mais cabelos grisalhos, dores nas costas, a vista que já nã acompanha a leitura e ainda aquela coisa do figado nã recuperar umas horas depois... demorando até ao dia seguinte, ou dois dias depois... uma chatice!
      :) obrigado.

      Eliminar
  3. Belmiro, és tu?! :)

    «Funcionário público, desiludido, com trinta e oito anos de idade, intoxicado de Literatura, apaixona-se por Carmélia, mas não se atreve a confessar-lhe o sentimento, nutrido que estava de fantasia adolescente. Até que um dia a moça se casa com o primo. Desfeito o sonho romântico, Belmiro mergulha ainda mais no tédio que lhe inspira o viver de amanuense.»

    [O Amanuense Belmiro, de Cyro dos Anjos]


    trinta e oito é data bonita ;) partilho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. podia ser, mas ela nã se chama Carmélia... :)

      Eliminar
  4. É um número muito auspicioso. Sobretudo para um polvo cigano.

    ResponderEliminar
  5. Hoje em dia há óculos muito bonitos e resolvem com elegância o problema da vista cansada.:)

    ResponderEliminar
  6. Ainda não cheguei ao 38, daqui a dois anos voltamos a falar. :)

    Parabéns, homem! (ou polvo...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... depois dou-te umas luzes, nã te preocupes :)

      Eliminar
  7. Oito é o número de tentáculos de um polvo, precisamente. Há muito que me fazem falta mais três pares de braços, para acudir a toda a gente que pus no mundo.

    Essas "maleitas" curam-se com 8 horas de sono (38 ainda é a segunda parte da segunda infância!)
    Parabéns, tem um ano feliz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pelas contas preciso do dobro ou triplo... :) é mesmo muita hora em falta. obrigado :)

      Eliminar
  8. Não dói nada, é só mais um. E depois de oito horas de sono, a vista estará um pouco melhor, só um pouco, nada que um bom oftalmologista não resolva. Parabéns! :)

    ResponderEliminar
  9. Parabéns atrasadérrimos, mas sentidos, Manel.

    (até podia dizer que fiz de propósito, de me atrasar, já que vi ali adiante que não gostas do dia de aniversário e todos os rituais que, supostamente, esse mesmo dia implica. o problema é que mentirosa é um dos poucos defeitos que não me assistem. ;p)


    Ah! Somos do mesmo ano. Não que seja algo muito importante de se saber/dizer, mas ando a treinar para comentadora profissional de blogues(yep. roubar-te o lugar, um sonho de a alguém que não os têm). E acho que quanto mais comprido um comentário é, mais pinta tem. Independentemente do seu conteúdo.
    ;)

    ResponderEliminar
  10. 38? Pfffffffffffffffffffffff! És um menino, pá! :P

    ResponderEliminar