sexta-feira, 13 de maio de 2016

volt

O vento dos últimos dias tinha tombado os cedros mais jovens no terreno de Łukasz. Cortamos umas estacas e atamos os que ainda resistiam, compondo sem grande rigor o que podia ser uma sebe. Łukasz deixou-me a terminar a tarefa e saiu para se fornecer de cerveja fresca e algo para jantarmos. Demorou mais do que o previsto e fiquei sem nada para fazer, caminhando para trás e para a frente, junto à sebe restaurada. Do terreno adjacente veio o que parecia ser o resfolgar de um cavalo, no interior de um pequeno estábulo. Aproximei-me da cerca que rodeava o estábulo e ele veio espreitar-me com a curiosidade de um cão gigante. Estiquei-me e depois de me cheirar a mão, deixou-se tocar, excitado com a visita. A cerca que rodeava o estábulo era constituída por postes fortes de madeira, mas o que ligava os postes eram umas fitas plásticas laranjas, que me pareceram frágeis para manter um animal daquele tamanho, mas ao mesmo tempo não pensei bem no assunto. Estava maravilhado com o porte do cavalo, tão interessado nele como ele em mim e foi quando me aproximei mais para lhe afagar as orelhas, que saltei para trás com um choque de alguns volts. O bicho também saltou e relinchou, e espezinhou na lama, assustado, juro que pareceu dizer algo como: és um idiota, não sabes que não podes tocar nessa merda? E voltou aborrecido para o interior do estábulo. Fiquei incrédulo a olhar para as inocentes fitas laranjas, com as mãos ainda a tremer. 

Banksy

18 comentários:

  1. :)))

    Fiquei a rir ... não pensares que podia estar electrificada :) senão o cavalo já lá não estava

    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. havia de ter lá algum aviso, nã?

      Eliminar
    2. Costuma ter avisos, tipo "rede electrificada", as tantas estava em polaco, zelektryfikowana sieci :))

      Eliminar
    3. ogrodzenie elektryczne... zelektryfikowana sieci são as catenárias :) mas é fácil confundir...

      Eliminar
  2. Nem sabia que existia esse tipo de fitas. Imagino a beleza do cavalo... valeu o choque,certo? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã, dar um choque a um animal nã é lá muito agradável...

      Eliminar
  3. cercas eléctricas... aqui também temos, para as vacas; nunca se enganam, mas o meu professor de física, nas aulas práticas, fazia com que apanhássemos choques colectivos, como aquele que deste ao cavalo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois, se nã tivesse tocado no cavalo, nunca tínhamos apanhado choque... vocês ai colocam avisos nas cercas?

      Eliminar
    2. a cor do fio (laranja) é o aviso... :)

      Eliminar
  4. Acontece o mesmo com algumas pessoas, ao aproximarem-se, sentem choques eléctricos!

    Beijocas, Manel das Tempestades :)

    ResponderEliminar
  5. Ficaste assustado com o bicho... :) Fizeste-me sorrir.
    Gosto do trabalho que mostras na imagem!

    Manel, e como é que tu consegues ser tão bom a escrever crónicas, contos?
    De tão bons que são até me esqueço que o teu tempo é mau... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. petrificado, pensei que ele ia passar por cima de mim...
      o bom tempo ainda nã chegou? já o mandei :|

      Eliminar
  6. Sem aviso nenhum?! Não está bem.

    (chegou o bom tempo, Manel, mas este foi anunciado)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu disse que ia e mandava o bom... estou a ir... olha eu a ir... :)

      Eliminar
  7. Sempre a pôr a mão onde não deves...

    ResponderEliminar