terça-feira, 17 de maio de 2016

dissolver

O homem que era segunda opção tomou banho e engomou a melhor camisa. Estava para sair quando recebeu uma mensagem que anunciava que tinha passado de primeira para segunda opção. O homem que tinha tomado banho e engomado a melhor camisa, descalçou os sapatos e pendurou o casaco. Depois sentou-se junto à janela e esperou que a luz eléctrica iluminasse as ruas, e que os carros escoassem das estradas. Por fim, quando a lua subiu por detrás do prédio de escritórios, tirou a melhor camisa e as calças, e mergulhou num sono pouco profundo.

A mulher que mandava mensagens tocou-lhe à campainha ainda o sol não tinha nascido. O homem que temia que os vizinhos acordassem, um deles seu senhorio, abriu-lhe a porta sem vontade. A mulher que estava sem dormir trazia pão fresco e não sabia que o homem que tomara banho e engomara a sua melhor camisa para com ela se encontrar, preferia torradas. O homem que queria desaparecer fechou-se na casa-de-banho e tentou dissolver-se em água quente corrente. Mas a mulher que estava sem dormir abriu a torneira da pia para encher a cafeteira, no exacto momento em que o homem quase se dissolvia… 

Charlie Chaplin, in pay day, 1922

17 comentários:

  1. Oh! Assim não se chegaram a encontrar efectivamente :(

    ResponderEliminar
  2. A melhor opção era ter ido sair com outra e levá-la depois lá para casa. De manhã quem abria a porta à outra? Pois. É assim que se faz.

    Tanto fez que tanto faz.

    ResponderEliminar
  3. :)

    porque será, gostarmos tanto de ler da tristeza, da melancolia, da angústia?

    ResponderEliminar
  4. Um homem/mulher que aceita ser, segunda opção, não merece nem choramingar. Só tem mesmo é que esperar, que a primeira opção falhe, ou que lhe tragam pão fresco no dia seguinte.
    :)

    ResponderEliminar
  5. Inda bem que nã se dissolveu, sr Manel, podia ficar com algum problema de pele! :)) Quase intolerável ... era, ela nã saber que o sr Manel, preferia torradas! :))

    Oh sr Manel, com este posti to indecisa ... se fico triste ou contente, ajude-me se faz favor ... :))

    ResponderEliminar
  6. tens que usar diluente, para a próxima...segunda opção, Manuel...por amor da santa! diluente pelas goelas abaixo...

    ResponderEliminar
  7. Não há mulher que mereça que um homem se dissolva por ela. Não quando faz dele segunda opção!

    (tão bom, o texto, Manel)

    ResponderEliminar
  8. Tornas bonito "o menos bonito" com as tuas palavras. Do fruto, nunca queiras a metade, procura sempre por inteiro. Abraço!

    ResponderEliminar
  9. A consciência da segunda opção mata coisas por dentro.
    Manel, o teu texto é tão bom... Pra lá de tanto, é o que te digo!

    ResponderEliminar
  10. Brilhante o teu texto, Manelito, de uma realidade atroz, consigo ver o enredo como se estivesse dentro do acontecimento.
    Gosto muito deste tipo de registo, em modo de underground, e a imagem escolhida assenta que nem uma luva.
    Parabéns Moço :)
    Fica um beijo e votos de uma boa noite.

    ResponderEliminar
  11. Não vale a pena esperar... digo eu!
    O homem merece muito mais.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. Não abrir a porta a quem nos fez descer um degrau no seu pódio - por mais que o senhorio, acordado antes da hora, estrebuche - pode ser a opção mais difícil, mas será, seguramente e também, a mais acertada. :)

    ResponderEliminar
  13. Não me parece que valha a pena dissolver-se por um pão fresco quando se gosta é de torradas... :)

    ResponderEliminar
  14. ora aqui está um belo argumento para uma curta :)

    ResponderEliminar
  15. Tão bom que quase que me atrevo a pedir uma segunda temporada :)

    ResponderEliminar