quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

riscas

Das coisas que nos crescem e temos de cortar, o cabelo é o que menos me aborrece. Quando me convenceram a cortar o cabelo na véspera de ano novo como um ritual de passagem, não vi qualquer problema, até mo terem cortado.
A rapariga mandou-me sentar no tampo da sanita e inclinar a cabeça para a frente. Parecia que sabia o que estava a fazer, mesmo assim antes que ligasse a máquina, perguntei-lhe se podia deixar mais longo em cima e usar o pente mais pequeno ao nível das orelhas, tipo Kim Jong-un. Ela acenou que sim, pousou o cigarro na beira do lavatório e tosquiou-me a cabeça a pente um.
Foi muito divertido, mas quando reflecti numa superfície polida, lembrei-me que tinha combinado uma ligação de skype com a família próximo da meia-noite. Conseguia imaginava a minha avó sufocada de choro, a dizer que lhe lembrava o pai quando esteve na guerra, ou o irmão mais novo quando os piolhos atacavam. Obriguei então os meus queridos amigos foliões a saírem para o frio. Estava frio, muito frio, de gorro e luvas, e vodka, e casaco apertado até ao queixo, desejei um bom ano novo à família enregelado, mas sem o estigma da miséria ou da guerra que a minha cabeça carregava. É claro que a minha avó chorou na mesma, quis saber se eu vivia na rua.

No dia seguinte levantei-me a meio da noite para ir à casa de banho (normalmente diria mijar, mas acabei de mencionar a minha avó e não me parece apropriado). Quando me vi no espelho com o pijama às riscas cinzento dois tamanhos acima que me ofereceram no natal, até eu estremeci. 

algures

23 comentários:

  1. :)))

    É o que dá cortar o cabelo numa noite de euforia :) Tinhas que ir a um pessoal mais especializado em cortes :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)

      Tu é que pareces não muito satisfeito com o corte de cabelo (eu ri-me do texto)

      Eliminar
    2. queria mesmo o corte à Kim Jong-un... mas se calhar é melhor assim

      Eliminar
  2. digamos que enfiaste um barrete...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. digamos que das coisas que necessitamos de "enfiar" na vida, o barrete é o que menos me aborrece :) bom dia Maresia!

      Eliminar
  3. Credo, homem! E o corte do cabelo é coisa que se deixe nas mãos das mulheres?
    Quando passares pela minha terra, diz qualquer coisa que eu meto uma cunha ao meu pai e ele corta-to como deve de ser e até te deixa alapar o traseiro na cadeira que herdou do tio.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É Centro. Se bem que para o Sul já é Norte. ;)

      Eliminar
    2. se para o sul é norte, atão é norte :D

      Eliminar
  4. Escreves desencanto, fazendo quem lê sorrir, talvez num esforço, para não chorar.

    Bom dia afilhado mailindo quinté, agora careca :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nem todos os dias são no paraíso, mas eu gosto de cá estar... :)
      boa noite madrinha, beijos

      Eliminar
  5. Bem esgalhado, Manel!
    O texto. O cabelo não sei. ;)

    ResponderEliminar
  6. Aconteceu-me o mesmo com o pijama.Só nã tem riscas!
    O cabelo fica-te bem assim.Foste contrariado cortar,mas a prima Vera está a chegar...
    Disse alguma coisa que se aproveite?
    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigado, tem uma vantagem, nã fico despenteado :)
      dizes sempre, nã duvides...

      Eliminar
  7. Vai crescer selvagem, vais ver! :D
    Mania de engatar miúdas, nem que seja a deixar que te cortem o cabelo sentado na sanita, pá!!!

    Beijocas, bald Stormy . :)

    ResponderEliminar
  8. deixa 'é dos carecas que elas gostam mais'...

    ResponderEliminar
  9. Cabelos e riscas à parte, já se mudava para quadrados ou círculos, há quem adore andar em círculos tipo barata tonta e nunca sair do mesmo lugar. Digo eu, sei lá, que não percebo nada dessas vidas mas que gosto de ler posts novos. ;))
    Bom domingo, Manel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aqui tá tudo a ganhar mofo... fora de prazo!
      bom domingo Dor da Ava

      Eliminar