sábado, 23 de janeiro de 2016

królik

C é jovem e educada, cede sempre o lugar a pessoas idosas ou com crianças nos transportes públicos. C também vai sempre votar, mesmo que esteja a chover torrencialmente. C faz bolos e é portanto boa pessoa, até para o vizinho D que ouve o relato demasiado alto aos domingos. Um dia C descobriu que a mãe estava a pagar um serviço que não usava e sentindo-se enganada, como nos sentimos todos por essas empresas que prometem maravilhas, resolveu ligar e acabou por descarregar o seu descontentamento com o funcionário da empresa que a atendeu. Esse funcionário é o R. Mas também há quem o trate por máquina. Mas R não é uma máquina e nesse dia, ao contrário do que era habitual, R ficou abalado. Foi a última chamada, R pegou na lancheira e ainda com a voz de C a entoar na cabeça saiu do serviço.

R é casado e tem uma filha pequena. R não passa muito tempo com N, a sua filha, porque R trabalha por turnos. Quando R chegou a casa mais cedo nesse dia, a pequena N ficou feliz por ver o pai. Mas R não estava nem um pouco feliz, é que R tornou-se imune aos descontentamentos, e quem se torna imune ao descontentamento, também é imune ao contentamento. R ignorou a alegria de N como normalmente ignora as centenas de pessoas que atende e sentou-se em silêncio em frente do ecrã para assistir ao debate das presidenciais. 

N anda na escola primária, algumas letras fazem-lhe confusão e troca frequentemente o l pelo c quando aparecem juntas com o h. N gosta de truques de magia e quando a professora B está triste, N consegue tirar flores das mangas.

B perdeu o único filho. B ficou muito tempo sem trabalhar. B perdeu tudo e um dia precisou de voltar a dar aulas e foi ai que conheceu N e as flores que lhe saiam das mangas. Mas hoje N está triste, acha que o pai não gosta dela porque ela escreve coenho em vez de coelho. N não quer aprender mais nada, nem tirar flores da manga. B vai triste para casa, mas antes disso tem forçosamente de passar pelo supermercado e a fila é longa porque o funcionário é novo e não consegue despachar as compras. B chama o gerente e mostra-lhe o seu descontentamento. O gerente está habituado a clientes insatisfeitos e pergunta a B com um sorriso amarelo, o que pode fazer por ela. B exige que lhe saiam flores das mangas.

P é o funcionário novo da caixa do supermercado. Foi despedido.


Illustration from I Am a Bunny by Ole Risom, illustrated by Richard Scarry.

Todas as personagens desta crónica são ficcionadas e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência... eu sou um coelho, os coelhos não sabem escrever. 
Snowy, tu não és a C...

34 comentários:

  1. Eu trabalhei dois anos em ambiente call center e os primeiros três meses foram realmente complicados, no final do dia só tinha vontade de sair de lá a correr. Psicologicamente é desgastante, imenso. O stress era tanto que eu que nunca fumei tive vontade de pegar num cigarro.

    Ao ler-te recordei também um filme 'Favores em Cadeia'. É incrível como os nossos comportamentos podem influenciar a vida das outras pessoas, para o bem ou para o mal.

    Bom fim-de-semana, Manel Mau. :)

    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o mundo nã caminha para uma melhor versão... isto é uma história, mas e se fosse verdade? e se a gente soubesse do desfecho antes do início? a nossa atitude era outra?
      bom fim de semana Castiel, beijos :)

      Eliminar
    2. Penso que iria depender de pessoa para pessoa, Manel.

      O facto é que nesse ambiente nós estamos lá para ajudar, eu estava. E fazia o que podia para diminuir a insatisfação do cliente. O problema é que muitas pessoas começam aos gritos, e são más, e tratam-nos mal. Não percebem que do outro lado está também uma pessoa. E por mais que soubesse que não era comigo, aquilo afectava-me.

      Por outro lado, há outras pessoas que entram em chamada a dizer 'eu sei que a culpa não é sua, mas estou muito aborrecida...' Neste caso, é mais fácil para o colaborador gerir o descontentamento do cliente. Resolvê-lo, até.

      Bem, mas isto trata-se da minha experiência pessoal. :)

      Eliminar
    3. tenho um amigo que diz que foi salvo por uma menina de um call center, ele é um bocado exagerado, mas disse-me que no fim do ano estava muito deprimido e pensou em matar-se e nesse momento ligaram-lhe e ele atendeu, e diz que ela era muito simpática e agora tem mais 70 canais :)

      Eliminar
    4. Eu estava numa linha de apoio, não comercial, se bem que actualmente é possível vender também nessas linhas. O importante é a pessoa ter bom-senso e dar a conhecer toda a informação sobre o produto para depois não resultar em reclamação. :)

      Um beijo, Manel Mau. :)

      Eliminar
  2. :))

    Não deixa de ser irónico. Acho que R nunca deveria ser imune à filha, vai perder o melhor da vida assim. Terá ele um problema para resolver, dentro dele?

    Percebo as ilações em cadeia, como umas coisas podem implicar umas outras. Mas também não se fazer nada, não me parece a solução :)

    Olha e aprendi a dizer coelho em polaco :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isto é uma história, mas Rs e Cs e Ps há muitos! :)
      Não se trata de nã fazer, mas talvez fazer de outra forma. Longe de mim dar sermões, o meu nome é mau e hoje até sou um królik. Mas imagina que C sabia como a história ia acabar no momento em que pegava no telefone para reclamar com R, achas que C teria dito as mesmas palavras?

      Eliminar
    2. Pois não sei :) podia dar uma de politicamente correcta e dizer que sim, que o podia ter feito de uma outra forma e que há formas nas quais se perde a razão. Todos podemos o fazer de uma outra forma. Mas a realidade é que poucos de nós o fazem, até porque por vezes não se consegue o impacto pretendido. O problema é de fundo e será mais cultural e das duas partes. Eu não tenho uma visão muito românticas destas coisas, confesso que não :)

      Coelhinho :))

      Eliminar
    3. pronto, com essa mataste-me... /(^x^)\

      Eliminar
    4. E eu que gosto tanto de uma boa luta!! :))

      Vou aquecer água para colocar na botija :)

      Beijoquinhas, coelhinho :)

      Eliminar
    5. ehehehehe, botija! eu nã gosto de lutas, eu sou um coelho.

      Eliminar
  3. perdi a lua cheia, a subir, em frente à minha varanda, e valeu a pena. olha que são muito poucas as coisas que valem a pena perder estes minutos em que ela sobe só para eu ver.

    na parede da casa de banho, tenho colado, entre outros, um papel que diz '1- SE IMPECABLE CON TUS PALABRAS: Habla con integridad. Di solamente lo que quieras decir. Evita hablar contra ti mismo y chismorrear sobre los demás. Utiliza el poder de tus palabras para avanzar en la dirección de la verdad y el amor. Toda la magia que posees se basa en tus palabras. Son pura magia, y si las utilizas mal, se convertirán en magia negra. Con una sola palabra puedes cambiar una vida o destruir a millones de personas. Se impecable con tus palabras y trasiende tu nivel de existencia' de don miguel ruiz. um amigo enviou-me quando eu precisava.

    obrigada por me trazeres de volta aqui, de volta ao cuidado com a palavra dita.

    isto foi só para te dizer que gostei muito. muito e muito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã devias ter perdido a lua, as palavras do coelho já estavam escritas e nã iam a lado nenhum :)
      "Toda la magia que posees se basa en tus palabras." prometo ponderar melhor as minhas.
      obrigado por gostares :)

      Eliminar
  4. mau... mau... mau... mau maria

    C tinha razão de reclamar
    R aceita as reclamações, que depois, raramente têm desfecho satisfatório para os/as C's que depois já ficam I(rritadas) e a coisa descamba, mesmo sabendo que R não pode fazer mais nada que ouvi-la e passar a bola ao seguinte.
    É um abecedário inteiro que anda por aí, enervado, roubado, frustrado, tristonho...

    Que saudades do tempo em que éramos conhecidos pelos nomes e conhecíamos o merceeiro, o padeiro,o contador da agua e da luz, etc, etc, do mesmo modo, e tudo era resolvido olho no olho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olho no olho quando nã era olho na caçadeira...
      mania do saudosismo, Madrinha, o caminho é pra frente, o mundo tem de avançar! e tristezas nã pagam dívidas, eu sei disso melhor que ninguém... tou cheio delas :)
      olha, hoje sou um coelho /(^x^)\

      Eliminar
    2. Nem tudo o que avança, é evolução. E não é saudosismo coisa nenhuma, é não gostar de falar para as paredes, e ser tratada como um calhau, é que nem todos os R's, são doces e maltratadas pessoas.

      Se estás cheio de dívidas, é porque as fizeste. Vai-se a ver e até foi um R que te ligou 1 milhão de vezes a convidar-te a aderir a isto e aquilo, que é moda, fácil e barata e dá-lhes milhões eheheheh


      Eliminar
    3. continuo a ser um coelho, apesar de ter baixado as orelhas...

      Eliminar
  5. Ficar imune aos estados emotivos, qual patamar de negrume da indiferença, é algo que chicoteia a dignidade.

    Manel, neste post abordas assuntos muito pertinentes. E que bem os escreveste.
    (Continuo intrigada como nunca obtiveste classificação superior a "Suficiente".)

    Beijo e bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá continuo a achar que o meu afilhado manga co'a gente
      :))

      Eliminar
    2. Fiquei traumatizado com a régua na escola primária, um dos meus primeiros erro era precisamente trocar o l pelo n quando estavam com o h, mas foi a palavra coelho que me ajudou. Os professores primários influenciam as crianças mais do que imaginam, para o bom e para o mau... se calhar podia ter seguido letras se tivesse perdido o medo de escrever. /(^x^)\

      Eliminar
    3. Ainda bem que já perdeste o medo de escrever!

      Eliminar
  6. Li e reli. Adorei a estória. Desde há algum tempo e por motivos que não irei aqui referir, passei a ter muito cuidado com aquilo que digo em situações idênticas. Há muitas maneiras de reclamar e a EDUCADA continua a ser a mais eficaz. Principalmente porque a pessoa que ouve a reclamação geralmente não é a responsável mas terá de ser ela a ouvir e proceder em conformidade. Educação e assertividade são palavras a reter. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o mudo gira e leva com ele as nossas acções e as más são as que viajam mais rapidamente. Mas eu nã entendo nada de nada, sou apenas um coelho /(^x^)\

      Eliminar
  7. Precisamos todos de aprender a tirar flores das mangas. :)

    ResponderEliminar
  8. Manel, esse coelho saiu-lhe muito bem da manga; tome lá uma cenoura, hoje é Domingo.
    O abecedário está contente.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã sabia que ia mandar uma cenoura... peço desculpa, mas a chuva já seguiu pelo correio!:(

      Eliminar
  9. Que maravilha, Manel! Uma menina que tira flores das mangas!

    Beijinhos repenicados :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. escrito em cima do joelho, tontices, palermices, coisas de coelho... :)
      beijos, beijos Tutu linda!

      Eliminar
  10. Já me saíram flores das mangas. Roubaram-mas!

    ResponderEliminar