quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

transbordar

O homem transbordou. Na beira da cama com os pés no frio, cobriu a boca com ambas as mãos na tentativa de suster o destilado. Comprimia com firmeza a própria carne contra os ossos, usava toda a força que lhe restava, mesmo assim derramava por entre os dedos, pelo nariz, ouvidos. Até a visão turvava líquida. 

 Franco Fasoli – JAZ, Minotaur in Berlin

15 comentários:

  1. Esse Minotauro é um lamechas e anda sempre descalço.
    Nã fui eu que disse.:))

    ResponderEliminar
  2. O corpo, por vezes, expele o que não lhe faz falta

    ResponderEliminar
  3. Pelos vistos, em Berlim existem bons trabalhos de street art.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. no link dá para ver as várias etapas do mural... fico pasmado.

      Eliminar
  4. Um grito estridente de socorro?

    Beijos, Stormy boy. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã querida Tutu, a tristeza por vezes nã cabe...

      Eliminar