quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Lucy

... ou pequeno exercício de auto-censura. 

O que têm em comum os achados da avó Lucy há quarenta anos na Etiópia e a observação pertinente do proprietário polaco a respeito de haver mais patos que patas? Eu gostava, mas infelizmente não encontrei nada. Mas o proprietário polaco tocou num excelente ponto, as espécies em que os machos lutam por uma fêmea supostamente têm mais probabilidade de sucesso. Quando a fêmea tem múltiplas opções, ela escolhe o melhor e os seus genes vão passar à geração seguinte. Os genes com defeito ficam excluídos da corrida, pelo caminho (ou no charco) e assim ocorre o contínuo melhoramento da espécie. Isto leva-nos a concluir que o futuro dos patos está nas “mãos” das patas (queria tanto escrever uma parvoíce destas!). No entanto isto pode não ser completamente verdade, há espécies em que os machos são em menor número e possuem os seus haréns. Aqui aplica-se outra teoria que defende que o acasalamento com mais do que uma fêmea aumenta as probabilidades dos machos se reproduzirem com sucesso e gerarem descendência. Logo, havendo mais patas que patos, os “melhores” podiam dispersar mais a sua descendência e isto é capaz de ser mais vantajoso, pelo menos numericamente…

Já que estou nos números, foi com alguma surpresa que constatei que no mundo há aproximadamente 101,8 homens para 100 mulheres. Parece muito equilibrado, mas quando fazemos as contas para 7 mil milhões de habitantes (podemos usar a regra de três simples), são mais coisa menos coisa que 62 milhões de homens a mais que mulheres.

Albert Montt

10 comentários:

  1. Mau querido afilhado as patas não têm mãos, logo, o futuro dos patos, está nas "patas" das patas.
    Posto isso, vamos há 2ª questão - Há mais homens, porque também morrem mais cedo - por outro lado, na china, matam-se as fêmeas à nascença - 2 fortes razões para o desequilibro que encontraste.
    Beijinhos, até ao meu regresso

    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na terrinha e nos países da ex-união soviética, as mulheres ganham, até porque sim, os homens vão mais cedo, acho que ficam fartos :) mas adiante, parece que lá para os orientes e países árabes os números invertem... nunca me apanham por lá, isso é certo! :)
      beijos... e até já :)

      Eliminar
  2. A auto-censura é um exercício de muita maturidade.
    Tenho dito.
    Beijo Manel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :D maturidade! nunca pensei ver essa palavra no mesmo parágrafo do meu nome...

      Eliminar
  3. E o caso das fêmeas que comem literalmente os machos?! :) Como as viúvas-negras e outras espécies de aranhas, reduzindo o número de "patas macho" disponíveis. É de louvar a atitude do macho que ansiando por passar os seus genes, se transforma numa boa dose de proteína :)

    Quanto aos números o rácio H/M penso estar próximo dos 0,98 :) Há que ter esperança!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah, o canibalismo sexual! é muito interessante pois os machos praticamente se oferecem para serem devorados... em parte pela dose extra de proteínas, mas em algumas espécies, como por exemplo o louva-a-deus, parece que ficar sem cabeça ajuda na libertação de espermatozóides :P depois há aquele caso da aranha macho australiana Latrodectus hasselti que prefere ser devorado, já que após copular com os dois compartimentos da fêmea, fica por assim dizer castrado!

      Eliminar
  4. é como aquela coisa de que cada pessoa come não sei quantos quilos de carne por mês, fico sempre a pensar que alguém comeu a minha parte. Aqui é o mesmo...

    Ó

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de colocar um anúncio, há certamente por ai carradas de cavalheiros que gostariam de experimentar o canibalismo sexual... :)

      Eliminar
  5. Alô, alô?
    Cadé o Maltês desaparecido na censura em modo auto?
    Duh :p
    Mania da perfeição...

    ResponderEliminar
  6. Auto-censura é coisa que exige muita disciplina!

    Beijos, Manel das tempestades. (foste levado por uma?)

    ResponderEliminar