domingo, 27 de setembro de 2015

pieprzyć

Ontem bem cedo, decidi ir até à cidade para comprar umas calças e para isso informei-me na véspera, que camioneta poderia apanhar aqui no meio de nenhures. Quando vim para cá só trouxe dois pares, as boas e as de trabalho, da última vez que subi no escadote, sobraram as boas. Cheguei à paragem uns dez minutos antes do horário que me tinham indicado, não havia ninguém na estrada, só se ouviam os corvos e as gralhas nos campos. Dez minutos depois aproximou-se uma senhora de idade, com a cabeça coberta por um lenço atado no queixo. Perguntou-me qualquer coisa, provavelmente se a camioneta já teria passado, mas como não entendi e nem sabia como responder, tentei dizer-lhe que não falava polaco, reproduzindo várias vezes “nie” que quer dizer “não” em polaco. Ela sorriu sem parar de abanar a cabeça em sinal afirmativo e então repetiu a pergunta, mais alto. 


8 comentários:

  1. tão parecido comigo, com a diferença do pipi, das filhas, do medronho, provavelmente tudo, quase nada, cigano de mil raios!

    cucu, bom dia! :)

    ResponderEliminar
  2. Nunca estamos perdidos!
    Ainda bem que escreveste de novo. Já aprendi "não" em polaco, estou mais rica.
    Espero que as calças sejam lindasssss.
    Beijo Manel.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. embriagues de musa nova, isto acaba por passar... talvez necessite de orientação feminina da próxima vez que comprar roupa :D sim é tac

      Eliminar
    2. Mas, a camionete chegou, ou nem por isso?

      Eliminar
    3. tac :) mas as calças nã sei se foram boa compra...

      Eliminar