domingo, 15 de março de 2015

espiclondrífico

Não será com certeza das minhas palavras predilectas, prefiro mil vezes prolixo, mas espiclondrífico faz parte do inventário: “VOCÁBULOS EM SEGUNDA MÃO”. Não é uma espécie de medusa, nem o nome que se dá às células urticárias existentes nos seus tentáculos, essas são conhecidas como cnidócitos, porque as medusas pertencem ao filo Cnidária, do grego knidos, urticante. As anémonas também pertencem ao mesmo filo, mas da classe Anthozoa, do grego anthos= flor mais zoon= animal, porque se parecem mais com flores, ou plantas marinhas, do que com animais. As anémonas vivem normalmente em mutualismo com peixes e caranguejos, protegendo-os de predadores e em troca recebem os restos de alimentos ou “patas” para se deslocarem. Chama-se a isso uma relação interespecífica ou heterotípica.
Para o caso não interessa para nada e tão pouco nos coloca mais próximos do significado de espiclondrífico. Não obstante, acrescento que medusas e alforrecas são a mesma coisa, e anémonas é outra coisa bem diferente, e que a palavra espiclondrífico pode ser encontrada desde ontem no meu caderno negro intitulado: “RECEPÇÃO DE INSULTOS, versão multilíngue”.
Já não me recordo qual o motivo da conversa, mas a certa altura confessei que não consegui passar do primeiro episódio do Game of Thrones, achei aborrecido e acrescentei que talvez fosse uma série boa para curar insónias, embora tivesse adormecido, a seguir também disse que achava o Prision Break estúpido, o House chato, How I Met Your Mother patético, Grey's Anatomy fraco, e por ai… Espiclondrífico, julguei ouvir. Depois foi a vez do Dan Brown e quase me cravaram numa cruz com pregos. Optei por ficar calado o resto da noite, escangalhei o bife de soja no prato e elogiei o risoto, apesar de detestar risoto, e aquele estava especialmente empapado. Se calhar estou mesmo espiclondrífico, ou talvez seja uma sintomatologia da idade, mas dizer o que penso é como uma doença contagiosa e cada vez que espirro, parece que faço um inimigo.

es·pi·clon·drí·fi·co (origem obscura)
adjectivo
[Jocoso]  Que é estranho ou extravagante. = ESQUISITO
"espiclondrífico", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa



12 comentários:

  1. Tava ver que chegava ao fim e não explicavas o significado,uma forma inteligente de obrigares a ler até ao fim (smile)
    Sim senhor!...gostei de saber ''espiclondrifico´´,quse impronunciavel :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se explicasse logo no primeiro parágrafo, o people abalava logo :D

      Eliminar
    2. Diz aqui ''responder'',deve ser pra respondere...ahhhhhh
      Nã,nã o pipol nã pode abalar,dexa-te de espiclondrifices :) :)

      Eliminar
  2. Olha,tu ainda precisas de espirrar para fazeres inimigos...A mim já só me basta respirar !!!
    Não é uma queixa,apenas uma constatação*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que exagero... mas se calhar ajuda se comeres menos cebola :D

      Eliminar
  3. Isto é um protesto...
    Eu já fiz comentários neste blogue e não os encontro.Fui censurada?
    Eu não gosto muito do formato deste blogue.Podes mudar?
    Obrigada*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã censuro comentários, só tens de os procurar que eles andem por ai!

      Eliminar
  4. Afilhado mailindo quinté, te digo aqui de pés juntos, que melhor que essa só a "esternocleidomastoideu"
    E o António Silva, estará lá nos céus a pensar, porque o estudante teria que ser de medicina e não Biologia. Biologia é que era, tinha tido muito mais impacto dizer " Ele até sabia o que era o espiclondrífico"
    :=))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. imagina se eu tivesse pneumoultramicrolascouscopicossilicovulcanoconiótico...

      Eliminar
    2. Conseguiste juntar todos esses sintomas? Já foste ao médico? Estás a antibiótico com certeza ahahahah

      Eliminar
  5. Espirra, espirra, assim ficas a saber quem são e poupas os ouvidos...
    Beijo daqui de longe senão espirras.:)

    ResponderEliminar