domingo, 6 de julho de 2014

fornício



... ou “Passos Coelho vai apresentar estudo para natalidade” 

Afinal parece que deu poucos resultados aquele "franchising" Governo/Agência de viagens, e depois de mandarem tantos portugueses lá para fora, melhorando um pouco os números do desemprego, agora querem que os portugueses tenham mais filhos. Diz assim o expresso ”blá, blá, blá… apresentação de um estudo encomendado por Passos Coelho para promover a natalidade (…) o Governo deverá tomar medidas para incentivar os nascimentos.” 

Já estou a ver que terão de colocar mais uma adenda à tabuleta Governo/Agência de viagens/Clínica de fertilidade… por mais voltas que dê, não sei como vai o governo descalçar esta bota. Para começar, talvez fosse boa ideia deixar de distribuir gratuitamente contraceptivos nos centros de saúde, substituir as aulas de educação sexual por festas de finalistas, descer a idade mínima permitida para a compra e consumo de bebidas alcoólicas assim para os 14 anos… começava por ai, para incentivar os mais novos! E depois uns subsídios, para quem tivesse muitos e assim os casais podiam ficar em casa em frente à tv todo o dia, bem todo o dia não… se calhar também era uma boa medida baixar um pouco o nível da qualidade da programação, repetir várias vezes ao longo do dia as mesmas novelas, muitos anúncios, ou então passar o discurso do cavaco no dia de Portugal por exemplo, para incentivar o acto de copular… 

Mas os gajos fizeram bem em encomendar um estudo, afinal pago impostos para alguma coisa, nunca me tinha ocorrido que isto seria um problema. Quem não tem filhos nem se apercebe, não lhes sinto falta… mas no futuro, quem vai garantir a minha reforma? Quem vai trabalhar e fazer descontos para que eu possa ter uns anos de descanso? E o que vamos fazer a tantos infantários, escolas e professores, e maternidades, e pediatras, parteiras… e a nestlé…? Quem vai comer as papinhas para bebés? E a dodot, o que vai ser da dodot quando não houver bebés em Portugal? E a super bock? E os festivais de verão quando não houver jovens em Portugal? Que será dos velhos quando não houver quem tome conta deles? 
Não posso estar mais de acordo com o Passos, encomenda-se um estudo e vamos lá resolver a coisa. Se calhar vão recomendar aos jovens que retornem ao país, ou pelo menos as mulheres em idade fértil, e manda-se para fora os velhos, os que já não estão em condições. Se calhar até os púnhamos em icebergues como fazem lá no norte… eles estão muito à frente! E se tudo isso não for suficiente, se calhar em vez de premiarem um audi, premiavam um berço, uma cadeirinha ou 100 unidades de fraldas, sei lá… só estou a ver isto assim de repente, por exemplo o desemprego e a precariedade do mercado de trabalho, o aumento do número de horas de trabalho, a diminuição dos ordenados, aumento de impostos, a instabilidade profissional… não vejo como isso possa ser problemático, nã sei… 

... o que sei é que estamos sempre a ser fodidos, mas desta vez será sem preservativo!


Sem comentários:

Enviar um comentário