segunda-feira, 14 de abril de 2014

amarelo


Contei três no relance, mas podiam ser quatro ou mais, todas da mesma cor, aquele amarelo com que pintávamos o sol quando éramos pequenos. Depois polvilhava o céu com algumas nuvens azuis, não obstante elas serem brancas, cinzentas ou mesmo negras. Talvez não fosse o mesmo amarelo, passaram muitos anos, os meus olhos já não são canídeos fiéis como costumavam ser, e foi de relance, naquela curva da estrada. Envelhecer é uma merda na generalidade, dores ganham familiaridade, pequenos rombos na memória e pedaços da vida vão vazando, crescimento capilar em cavidades que não fazem falta, sentidos afectados definhando a cada ano, mas em compensação aguçamos a intuição, a paciência torna-se uma aliada, as vitórias ganham um sabor mais intenso, aprendemos a gostar do tempo, e até da morte de forma carinhosa. O silêncio… Quase que me atreveria a afirmar que aquele tom só a natureza o conseguiu, distinto na paleta, vibrante, quase queimando a pupila mas exuberante, sem perder o viço, entre a lima e o limão, manteiga, puro mas não carregado como as searas do holandês. Voavam todas juntas, três ou quatro ninfas, em perfeita sincronia como se fossem uma, num breve relance, na berma da estrada bailando os primeiros dias mornos, suspensas à espera naquela hora adiantada que nos separava.



I counted three at a glance, but it could be four or more, all the same color, that yellow we used to paint the sun with when we were little. Then I'd sprinkle the sky with some blue clouds, despite their being white, gray or even dark. Maybe it wasn't the same yellow, it was many years ago, my eyes are no longer the faithful canines they used to be, and it was only at a glance, on that curb in the road. Getting older sucks in general, pains become familiar, small cracks in memory and pieces of life leaking away, hair growth in cavities that are not lacking, senses affected and withering every year, but on the upside intuition sharpens, patience becomes an ally, victories acquires a more intense flavor, one learns how to enjoy time, and even death in a fond way. Silence… I'd almost dare to say that that specific tone only nature could make, distinct in the palette, vibrant, almost burning the pupil but exhuberant, without losing vitality, between lime and lemon, butter, pure but not loaded as the Dutch's cornfields. They flew all together, three or four nymphs, in perfect sync as if they were one, in a brief glance, at the roadside dancing the first warm days, suspended in waiting at that late hour that separated us.

Sem comentários:

Enviar um comentário