terça-feira, 31 de dezembro de 2013

adulterado

A mesma escadaria surgia por volta das três. Degraus curtos e largos, madeira envernizada atapetada a vermelho, com guarda torneada em balaustres. No topo iluminado por uma janela mainelada, estava ela de costas voltadas. As escadas eram infinitas, estendendo-se por andares acima e abaixo num labirinto angustiante. Mas era ela, sem sombra de dúvida.

A temperatura do corpo não fica estabilizada em trinta e sete graus durante todo o dia. Sobe para trinta e sete ponto dois por volta das cinco ou seis da tarde e vai caindo até atingir os trinta e seis durante a madrugada.

O cheiro a mofo do quarto fechado, lembrava as pensões baratas de Coimbra em dias mornos na avenida. As camas eram estreitas apartadas por um metro. Abriu a janela com vista sobre o rio, turbulento castanho carregado das chuvas que não cessavam. Ouvia-se o rugido moendo as margens por entre os seus gemidos.





Sem comentários:

Enviar um comentário