segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

oblação

Cheira o meu novo perfume…

Pediu com veemência ao lobo mau, rodando a cabeça despida do capucho vermelho que a cobria, oferecendo a cova pálida e suculenta do pescoço. Aproximou a disforme venta da leitosa pele e aspirou intensamente a morna doçura que emanava, rude e efémera juventude, oblação salpicada com a cara fragrância artificial.

Cheiro bem?
Ébrio de prazer deixou escapar um sorriso na sua enorme e escancarada bocarra, com uma miríade de dentes à vista. Concupiscência tola, lume ateado pela escarlate capa que descia na pele nua, e rodopiava na ponta dos dedos. Debilitado pela volúpia das mãos que o corriam, deixava-se vencer, entregava-se sem luta inteiro ao lábios entreabertos, provocantes e húmidos, brilhantes, onde se achava uma língua devoradora que perguntava ao lobo depois de o comer…

porque tens uma boca tão grande?



*oblação
(latim oblatio, -onis)
s. f.
1. Sacrifício a Deus.
2. Oferenda.
3. Oblata.

Sem comentários:

Enviar um comentário