equívocos

 perdi um concerto de música clássica para estar no seu trigésimo aniversário. que raio de ideia. como me convenceu? somos amigos, mas devia ter imaginado que estariam os pais, família e depois os outros amigos, os da sua idade. assisto no escuro do jardim, deitado na espreguiçadeira coberta de orvalho, às pinturas faciais e outras "brincadeiras" que parecem impróprias para quem faz trinta. há uma rude atitude nos seus pais, talvez ninguém goste que os outros possam roubar os seus filhos, nem que seja apenas por engano.

aconteceu no avião uma vez, "o seu pai está a chamá-lo" disse a senhora simpática. o puto nunca mais se calou, toda a viagem, "tu, meu pai, como se fosse possível. não temos nada em comum". é verdade, não temos nada em comum. mas pior foi a empregada do café. achei que ele se estava a fazer a ela, os dois a rirem muito e eu à espera do chafé. regressou à mesa com uma expressão de desanimo. ela também achou que éramos pai e filho, contou, o que o fez rir, deixando a moça corar até à raiz do cabelo muito loiro. acontece muitas vezes, explicou, e então a moça fez uma sugestão ainda mais estranha. são namorados? aí já não se riu. "é que eu e o meu namorado", disse a rapariga, também fazemos 10 anos de diferença. somos amigos, explicou-se. mas parece que já não se pode ter amigos em público. 

que elogio, pensei, alguém achar que este jovem de 30 anos bem vestido e bem parecido pudesse ser namorado de um velho mal andrajoso como eu. Achas que transmito uma vibe gay? pergunta-me o puto apesar de saber a resposta. 

é possível que tenha contado aos pais o engano da senhora no avião. o certo é que o homem me estendeu a mão, mas acompanhou o cumprimento com piadas que não entendi. foi um pai ausente. apesar das parecenças, mesmo em casa dele, talvez muitos continuem a achar que o pai sou eu.

mas as pessoas assumem tanta coisa. como a rapariga que chegou ao aniversário ao mesmo tempo que eu. não estamos juntos, foi só o destino que nos colocou diante do grande portão sem números no mesmo segundo em que a terra se deslocava pelo espaço. notem que aqui ninguém acha que pode ser minha filha, assumem de imediato que somos um casal com 15 anos de diferença. verdade que ficamos a conversar um com o outro mais tempo que com outros, não sobre estes equívocos, ela nem se apercebeu, só eu porque alguém me disse, "ainda bem que a trouxe... "

Comentários

  1. Olá, Manel. Bons olhos te vejam, pensei que as nossas palavras já não te interessassem.
    Afinal, voltaste a abrir-nos a tua porta. Que bom!!
    No meio de tanto equívoco reparei que até houve um velhote "mal" andrajoso . Só andrajoso não chegava? :)
    Cá para mim não fizeste boa troca. O concerto teria sido melhor escolha, não?

    Beijos, Manel.
    Fica bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mil perdões pelo fecho. nã foi por as tuas palavras não me interessarem... nem por sombras. às vezes dão-me estas estranhas desvontades :)
      abraços e beijos, Janita

      Eliminar
  2. Pois, também entristeci de já não querer interagir connosco. Se calhar fartinho de sermos sempre os mesmos, fartinho de não sermos mais ou simplesmente de se sentir obrigado a responder-nos...ou qualquer outra coisa que não sei. Também já fiz trocas assim, das quais me arrependi. Mas depois penso, como havia previamente de saber que isto era menos interessante que aquilo? E apazigou-me pensamento que as más escolhas são parte da vida. E afinal ainda houve uns bons minutos de companhia no portão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamento que a tenha entristecido... nã foi por nenhum desses motivos, asseguro... embora o mundo me torne um ser enraivecido, nunca foi intenção magoar ou atingir aqueles que me dão alguma esperança. nã pensei bem nas consequências. desculpem.
      e sim, como saber de antemão que determinada escolha será melhor ou pior... mas mesmo nã tendo sido a melhor, nem tudo foi mau :D

      Eliminar
  3. ..."nem tudo foi mau", dizes tu. Então? Encheram-te a cx. do correio com pedidos para voltar? Só pode! 😋
    Amanhã já é sexta. Manel...! Como por aí não foi preciso restaurar coisa nenhuma, foram sempre independentes, não tens fim de semana prolongado. Sabe tão bem...😛
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) nã sei se entendi, mas se calhar também me expressei mal
      o "nem tudo foi mau" era sobre a festa, que também teve algo de positivo, como a CCF bem frisou
      ainda bem que te sabe bem o fim de semana prolongado, e para a semana outro, nã é? nem fim de semana estou a ter, mas cada um tem o que merece :D

      Eliminar
  4. Fizeste uma amiga e
    'Coisa mais preciosa no mundo não há'
    Soube a pouco?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. amiga é relativo, mas o que é que hoje em dia nã será relativo? no tempo do Sérgio era bem mais simples e sabia a tanto :D

      Eliminar
  5. Não dês importância à diferença de idades...

    ResponderEliminar
  6. Truz truz, sou eu. Tenho saudades tuas :)

    ResponderEliminar
  7. Olá, Manel!
    Vejo que não fui a única a sentir saudades e vir bater-te ao ferrolho, ou badalo, ou ainda, batente. Como melhor te soar!

    Até te trago um miminho, neste dia em que há 37 anos o Zeca nos deixou.
    https://www.youtube.com/watch?v=uU8r5AR2k-k&t=44s

    Aparece, olha que o tempo corre e não espera por ninguém.
    Beijos e abraços, Manel.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares