junho

 

Por vezes o futuro é me mostrado como se fosse passado. Morrerei sozinho, já velho, tendo por consolo o silêncio. Ouvi uma vez apenas o silêncio. Estranhei-o e agora procuro-o. No último suspiro, no limiar de meio batimento, esse som extraordinário que é o silêncio.

escrito e esquecido a 14 de junho de 2021

Comentários