minimalismo

 

Nunca fui de ter muita coisa, mas mesmo assim tenho mais do que aquilo que preciso. Uso como exemplo a mesa e as cadeiras da sala onde raramente me sento, a não ser que convide várias pessoas para uma refeição. Se não a tivesse, tinha mais espaço livre. E também tinha menos uma coisa a encher-se de pó. Já vivi com o mínimo, e com o mínimo quero dizer mesmo o mínimo que possam imaginar, mas quando comecei a ter o meu espaço, fui enchendo de objectos que me davam um certo conforto. Descobri recentemente que ter os pés num tapete enquanto estava sentado na sanita, é mesmo muito agradável. É verdade que esses objectos são também aquilo que nos mantêm prisioneiros do trabalho, das tarefas domésticas. Atafulhamos a nossa vida com inutilidades, gastamos depois o dobro a manter e a substituir todos estes luxos que nos são impingidos. Às vezes até nos dizem para comprar isto assim da cor verde porque é mais ecológico ou sustentável, mesmo quando não precisamos porque temos em rosa ou azul. Estou a tentar um meio termo. Um minimalismo mínimo, como muitos dirão. Algumas coisas já fui dando, outras sou capaz de vir a prescindir no futuro. Consigo ver-me com menos, acho, desde que mantenha o tapete felpudo da casa de banho.




Comentários

  1. A nave da Star Trek, o sabre de Luz da Star Wars e a vassoura da Sabrina, The teenage Witch... e isto só na casa de banho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sabre de luz que é na verdade um desentupidor... é assim que se chama?

      Eliminar
  2. Isto que vejo não é minimalismo coisa nenhuma; é extravagância!
    O tapete felpudo que tanto jeito dá, a ti, e a toda a gente, foi para lavar, foi?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ehehehehehehe, fico feliz por nã ser o único a pensar que um tapete felpudo é importante

      Eliminar
  3. Subscrevo inteiramente!

    E todos temos as nossas "baldas".

    Eu, como moro em casa térrea, tenho mesa de refeições na sala e uma na rua. Mesmo assim, este Verão, decidi que comprava um conjunto da jardim, com uma mesinha baixa e uns sofás também. Para tomar uma bebida antes do jantar ou me sentar a ler um bocadinho.

    E que bem que sabe! Se podia passar sem isso? Poder, podia mas não era a mesma coisa!

    Um abraço do Algarve, "Sr das Tempestades"!

    Sandra Martins

    ResponderEliminar

Enviar um comentário