condensação

Reparei num destes dias, que desde o início desta coisa viral, passei a ver melhor sem óculos do que com eles. E tudo devido a um fenómeno bastante simples provocado pelo uso das máscaras, que direcionam o ar quente que exalamos diretamente para as lentes dos óculos. O que acontece é que esse ar arrefece, passando do seu estado gasoso ao seu estado líquido, deixando-me às cegas. A esta mudança de estado físico dá-se o nome de condensação. Quando ocorre o fenómeno oposto, da passagem do estado líquido para o gasoso, chama-se vaporização. É o que acontece com a roupa a secar ao ar, sendo necessário neste caso, que se verifique um aumento da temperatura. Na condensação por sua vez, há um arrefecimento. O fenómeno também pode ocorrer devido a uma saturação de água na forma de vapor, como acontece na formação das nuvens. Quando uma bolsa de ar fica cheia de vapor de água, voilà, temos uma nuvem. O ponto em que inicia a condensação pode ser facilmente visualizado nos cúmulos, que são nuvens com contornos bem definidos e bases planas. É precisamente nessa base plana da nuvem que o vapor começa a condensar em gotas de água. 

Mas antes que uma nuvem possa produzir chuva ou neve, é necessário formar essas gotas de chuva ou partículas de gelo, e tal como acontece com os meus óculos, para haver condensação, deve existir uma superfície sobre a qual o vapor de água possa condensar. Por exemplo, quando o orvalho se forma, objectos próximos ou sobre o solo servem a este propósito. Quando a condensação ocorre no ar acima do solo, não há objectos, nem plantas, mas sim minúsculas partículas, ou aerossóis, conhecidas como núcleos de condensação que servem como superfície sobre a qual o vapor de água condensa. A maioria dessas partículas é de origem mineral - pedaços microscópicos de argila, sal ou poluentes sólidos, como cinzas - mas microrganismos transportados pelo ar - bactérias, fungos ou minúsculas algas – também o conseguem fazer. Ao contrário dos aerossóis minerais, os organismos vivos podem catalisar a formação de gelo mesmo em temperaturas próximas a 0 ºC. Isto porque a água ultrapura (sem os tais núcleos de condensação), ao contrário da água que nos sai das torneiras, congela apenas em torno dos -40 ºC. 

O efeito dos “nucleadores de gelo” biológicos na precipitação foi um mistério durante algum tempo, até porque era difícil “apanhar” nuvens para as estudar. Uma determinada bactéria, Pseudomonas syringae, foi descoberta em abundância nas folhas de uma vasta gama de plantas silvestres e domésticas, incluindo árvores e gramíneas, em diversos sítios do mundo. Elas acompanham o ciclo da água, sendo levadas pelo vento desde a superfície das folhas para a atmosfera, ou por evaporação dos cursos de água doce e depois voltam às plantas ou aos rios com a queda de chuva ou neve. O seu objetivo é infectar plantas promovendo o congelamento da água na superfície das mesmas como forma de ataque, permitindo a formação de geada a temperaturas mais elevadas que o normal. Isto pode ser uma chatice para a agricultura, mas também pode ser uma forma de se compreender que uma reduzida quantidade de bactérias nas plantações, pode afectar o clima, já que estes microrganismos podem interferir no ciclo hidrológico. 

Isto tudo para enfatizar o que já se sabe desde há muito: o tamanho não importa! o que importa é a condensação...



Comentários

  1. Mê rico menino, mê querido Manelito,...és um grande sábio e um cientista de primeira água, isso sim!
    Até me me secou a garganta e estou aqui em pinga de orvalho nem ar para soltar um ai...Óculos embaciados do sal das lágrimas...Tenho tanto gosto em ti!

    Beijos e abraços...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh Janita, até fico corado! simplesmente nã sabia o que escrever e fui indo com a corrente... beijos e abraços :)

      Eliminar
  2. O que importa e que não te evaporaste. :)

    ResponderEliminar
  3. Com a devida ressalva assino por baixo o comentário da Luísa.
    Abraço, saúde e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã seria extraordinário podermos evaporar quando alguém nos leva ao ponto de fervura?
      :) boa semana, muita saúde, beijo

      Eliminar
  4. Voltás-TEA ahahahaha
    Bom sentir-te por cá de novo, afilhado mailindo.
    Abraço sufocante de madrinha saudosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. infelizmente nã volto tantas vezes como gostava, mas volto :)
      abraço apertado, espero que estejam todos bem

      Eliminar
  5. Parece conversa de advogado. Aí sim, importa a condensação.

    E, ás vezes, a evaporação.

    Agora que começa o calorzinho, não se evapore está bem?

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. de advogado? nã entendi :)
      abraços

      Eliminar
    2. Ah!Ah!

      De advogado porque o mais importante está no fim.

      De facto, penso que me expressei de modo algo enigmático. Não era o que pretendia.

      Pelo menos na parte em que dizia para não desaparecer fui clara não fui?

      Um abraço do Algarve,

      Sandra Martins

      Eliminar
  6. acreditas que li até ao fim?
    quer então dizer que a condensação nos teus óculos é que provoca a chuva?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário