selvagem

 

o rapaz partiu-lhe a parede ao murro. antes já tinha partido o comando da tv. da próxima vez talvez descarregue toda aquela frustração na rapariga. afinal, ela é a culpada. ele é a vítima, o rapaz perdido que ela salvara de um naufrágio. ele nem se reconhece, cheio de etiquetas e palavras caras, bêbado de pinot noir às quatro da tarde. é amor, insiste ela, desde o primeiro momento. tanto amor que até azeda em ciúme. onde vais de olhos pintados a esta hora? e vai e esmurra a parede. 

pena não ser de tijolo. digo a mim próprio, enquanto aplico um remendo e passo massa. 

pena que ela o vá perdoar... mais uma vez, porque ele promete que não volta a acontecer. 






Comentários

  1. É no que dá, trocar a Touriga Nacional por pinot noir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu sou gajo de syrah e a menina?

      Eliminar
    2. Eu? Na vinha sou fiel ao que determinava o meu avô, só permitia touriga nacional nos seus campos. Uma ou outra espadeiro por engano (que gosto porque dá vinho cor-de-rosa)... o pobre não imaginava que os filhos lhe iam deixar morrer as vinhas e abandonar os campos. No que toca a pessoas, infelizmente elas não são como o vinho, até na melhor cepa se encontram uvas podres.

      Eliminar
  2. É sempre assim, em crescendo, que se atinge a loucura...

    Beijos.

    Boa semana, Manel.

    ResponderEliminar
  3. Uma pena mesmo, que ela não goste de si mesma.

    Boa tarde afilhado mailindo :)

    ResponderEliminar
  4. É assim que eles começam e geralmente acabam com elas no hospital ou na morgue.
    Abraço, saúde e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tinha mais esperanças para estes jovens... mas a história parece um disco riscado... todos sabem como acaba.
      boa semana, cuidado com o frio, abraço

      Eliminar
  5. É preciso romper com o circulo vicioso em que a vítima se move e se arruína. Mas é também preciso que o agressor seja não apenas penalizado mas também objecto de intervenção pois, caso contrário, outra vitima fará.
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. primeiro é necessário que admita que tem um problema... e pelos casos que conheço, isso raramente acontece. Há intervenção que resulte para além dos choques elétricos?

      Eliminar

Enviar um comentário