gemidos

Os gemidos e os arfares do andar de cima surpreenderam a Senhora Barsukov no intervalo da sua novela favorita. Fez um chá mais preto que café e sentou-se na sala, atenta, com a tv em silêncio. No primeiro vivia o estrangeiro das botas sujas, que às vezes deixava um rasto de terra até ao tapete da entrada. Era um indivíduo pacto que vivia sozinho, trabalhador, silencioso, só lhe podia apontar o rasto de terra que ele compensava com um saco de legumes ocasionalmente pendurados na sua porta. Tinham dificuldade em comunicar, mas ele acenava sempre que sim com um sorriso na boca a tudo o que ela lhe dizia, e nem tudo era bom ou simpático. A novela tinha recomeçado, os actores e actrizes com penteados exagerados mexiam os lábios sem som, mas a viúva perdera o interesse. Pelo som que vinha do primeiro, parecia que ele estava a aplicar umas palmadas na moça que gemia ainda mais alto. Tinha visto isso num filme onde havia um quarto vermelho e chicotes, achou um pouco estranho. No tempo dela não se faziam essas coisas. O falecido Senhor Barsukov nunca lhe tocara dessa forma, nem em desentendimentos, que os havia às vezes. Era tudo muito diferente, silencioso, mais previsível, cristo crucificado por cima da cabeceira da cama. Enquanto beberica o chá, imagina o mesmo cenário do seu quarto, a mobília que compraram à mais de cinquenta anos com os seus chiares e balançares, o Senhor Barsukov de mão no ar, faz pontaria.

Comentários

  1. O estrangeiro de botas sujas de terra, que vive no primeiro, e anda a subornar a Senhora Barsukov, comprando-lhe os favores de silêncio - e da esfregona - com um saco de nabiças... por acaso não é o português dos trovões e tempestades?

    ResponderEliminar
  2. Caixas de ovos vazias, dão um bom isolamento :-)

    Beijinho, afilhado mailindo

    ResponderEliminar
  3. Manel,
    ai se eu fosse a porteira lá do sitio...nem digo o que me passou pela cabeça, vou ali penitenciar-me
    Noite tranquila e silenciosa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esse desejo de noite tranquila e silenciosa pareceu uma maldição :)
      abreijos

      Eliminar
  4. Querem lá ver que o "Mau-Tempo" se está a deixar afectar pelos calores da "silly season"?

    E a influenciar a vizinha! Coitada ou sortuda?

    Afinal, dizem que nunca somos demasiado velhos para sonhar e/ou experienciar.

    Resto de boa semana!

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o calor afecta-me, mais do que o normal… nunca mais é outono :)
      boa semana, abreijos

      Eliminar

Enviar um comentário