kintsugi

Benzaiten, a deusa das águas, do tempo, das palavras, do discurso, da eloquência, da música e conhecimento, ou de uma forma mais simplificada, de tudo aquilo que fluí, caminhava na linha de espuma que o mar regurgitava para seu conforto, quando cortou o pé num fragmento vítreo afiado. A deusa sentou-se na areia e com as pontas dos dedos retirou do pé o estranho fragmento que parecia vidro de dragão, ou como os humanos chamam, obsidiana. Um fio dourado jorrou da ferida preenchendo instantaneamente o sulco aberto. Mais adiante havia outro fragmento e durante vinte e três dias a deusa coleccionou estilhaços que pareciam rocha vulcânica, ligando cada pedaço com emendas de ouro que fazia verter da polpa dos dedos, até unir todos os fragmentos que a maré trazia num monólito negro. Era em tudo semelhante a um coração humano, mas sem batimento, sem vida. Benzaiten então entrelaçou vários fios de seda e ouro fazendo uma bolsa muita fina onde guardou o coração de obsidiana junto ao seu peito. Não tardou muito para que os miócitos petrificados começassem a bater ritmados pelo coração da deusa, de tão próximo que se encontravam um do outro. E esta é a possível história de amor da deusa e de um coração humano.





Comentários

  1. Que venha(m) a(s) deusa(s) e se pronuncie(m) sobre tão estranho amor...
    Sou demasiado prosaica e terra-a-terra para entrelaçar fios de ouro vertidos de algo que saia de mim.

    Oh, cruel destino, a sepultura que me aguarda...com este meu fraco e humano coração!

    ResponderEliminar
  2. A Luísa chegou primeiro, e não vou repeti-la, só para que não fiques muito vaidoso, mas que me apetecia, lá isso apetecia :-)

    Beijinho, afilhado mailindo

    ResponderEliminar
  3. Dava-me jeito uma bolsa assim, de seda e ouro para fazer pandã (é assim que se escreve?) com as sandálias douradas , as que guardam os pés da deusa que carrega o coração. Lindo meu caro!

    ResponderEliminar
  4. Quanto se pode dizer com tão poucas palavras, que linda esta história, quando se trata de deuses e deusas ninguém lhe ganha, devia escrever um livro só com estas histórias.
    ~CC~

    ResponderEliminar
  5. É essa a magia possivel. A imaginada por um homem que sonha os deuses.
    :)
    Muito bem!!!!!

    ResponderEliminar
  6. Quando eu for grande, quero saber escrever assim.

    Também concordo com a sugestão já aqui apresentada de que escreva livros.

    Enquanto lia o texto, fiquei a flutuar e a imaginar-me no reino das Mil e Uma Noites.

    Um abraço do Algarve,

    Sandra Martins

    ResponderEliminar
  7. Para facilitar a vidinha dos pobres mortais, todos os corações deveriam ser moldados nessa pedra.
    É que, para além das suas virtudes terapêuticas que - dizem - são de valor, também parece ter o poder de revelar o que é mantido oculto como sentimentos, verdades e, agora é que vem a parte efectivamente interessante, tesouros. :)

    ResponderEliminar
  8. Que Deus nos valha! Não querem lá ver que a tal Benzaiten, com todo o seu poder sobre as águas e imenso conhecimento sobre tudo, veio aqui e raptou o rapaz ?
    Ciganito, por onde andas? Manda uma forte trovoada seguida de mil raios se estiveres bem e manda uma chuva miudinha se te encontrares sequestrado.
    Mas, dá sinal de vida.....please, Mau-Tempo, fala! Estou em cuidados contigo, moço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...anda lá depressa explicar aqui ao pessoal porque razão escreves no blog ; ou blogue, tanto faz... ;)

      Eliminar
  9. Então?
    Já andava em cuidados contigo. A perguntar por ti às pessoas...
    Fazes cá falta, carago!
    Na próxima deixa um endereço! Ai...

    ResponderEliminar
  10. Respostas
    1. Era capaz de apostar que, era tudo, menos um coração humano. :)

      Eliminar
    2. também era capaz de apostar que havia uma história de amor, mas foi engano :)

      Eliminar
    3. Oh meu Deus, tantos enganos :) ilusões e desilusões... Assim vai a vida passando e nós aprendendo... 🌻
      Bom fim de semana sr Manel. :)

      Eliminar

Enviar um comentário