tremebundo

Sonhei com Ilmatecuhtli, a tecedora de céus, mãe das estrelas. Estava num hotel em Bakoven, perto da cidade do Cabo, numa língua estreita entre o mar e a montanha de arenito. Nunca lá estive, mas sei que fica a menos de dois passos do vale dos deuses vermelhos. Talvez por isso ela ali estivesse, dizem que é um bom sítio para deuses de qualquer cor, mas principalmente para os que pretendem ficar vermelhos. Já tinha decidido sair e explorar o trilho, embora nos meus pés tivesse uns sapatos de gangster em duas cores apertados. Algo atraiu-me em sentido contrário da saída. Aproximei-me da porta do auditório, mas não entrei. Sabia que era ela, reconheci a sua voz límpida e sedativa, capaz de adormecer uma orca surda em três segundos. Uma mulher de cabelos grisalhos, enrolados num ninho e vestido tropical, aproximou-se e afastei-me da porta para ela entrar. E se eu entrasse logo a seguir? Pensei, talvez ela não me visse. Mas tão depressa pensei em entrar como em virar costas e sair dali o quanto antes em direcção à montanha, enquanto lá dentro no auditório, ouvia a deusa receber a mulher com palavras amistosas e calorosas, tratando-a pelo nome próprio. “Entre, entre, Dona Libánia, não se acanhe, não imagina como fico feliz por ter vindo. Sente-se, pode ser mesmo ai. Sabem, a Dona Libánia é um ser muito especial, tem um sorriso verdadeiramente contagiante, apesar de lhe faltarem uns dentinhos na frente…” 

Comentários

  1. eu não entraria mas fiquei curiosa sobre o que aconteceria a seguir e por isso espero que tenhas entrado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nã entrei e o sonho acabou por ali, e havia raspas de chocolate...

      Eliminar
  2. Parece que esse sonho foi um sonho bom...eu gostei muito! E tu?
    Essa tal deusa até me pareceu uma boa pessoa.
    Entraste ou ficaste a escutar à porta?
    Às tantas acordaste...é sempre assim.... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ela é boa pessoa :) mas nã entrei, acho que nã estou à altura dela...

      Eliminar
  3. Sonho escrito, ou realidade imaginária?

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. nã, se ela disse aquilo daquela senhora tão simpática, o que diria de mim...

      Eliminar
  5. Era o nome de uma das minhas avós.

    ResponderEliminar
  6. Fiquei curiosa....
    Onde a terás encontrado antes para reconheceres "a sua voz límpida e sedativa, capaz de adormecer uma orca surda em três segundos" ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois, tu nã conheces Ilmatecuhtli, mas foi a deusa que criou um polvo no meu pescoço... ultimamente a nossa amizade anda meia tremida, tentei recortar a lua para lhe oferecer, mas desde que comprou uma batedeira elétrica para bater as estrelas que nã quer saber de mim... é uma longa história... tens outros amigos mais importantes e acabei metido num canto

      Eliminar
    2. Nem todos conseguem apreciar o mau-tempo.... deve ser uma experiência repetida da tua vida...
      lamento! :(
      ;)

      Eliminar
    3. normalmente só apreciam quando há seca ou já anda tudo farto do calor e pedem um friozito para usarem as camisolas de inverno... é muita ingratidão, ninguém aprecia uma boa trovoada e a trabalheira que dá... se soubesse...
      :)

      Eliminar
    4. Imagino...
      E os belos raios!
      E o ribombar dos trovões....
      E as chuvas tropicais.

      Eliminar

Enviar um comentário