μπανάνα

“um post por dia até ao fim do corona" dia 15…


Hécate primeiro disse que tinha pressa. 
-Às cinco tenho uma videoconferência importante. Olhei para o relógio e pouco passava das três. 
-Bebes alguma coisa? Perguntei ansioso que ela me acompanhasse num gin. 
-Pode ser água. Respondeu, sentando-se descalça no balcão da cozinha. 
-Pode ser água em cubos com um pouco de gin, água tónica e uma rodela de limão? Insisti. Ela sorriu. Tem um sorriso lindo, pena não o partilhar comigo mais vezes. 
-Não sei se posso confiar nos teus gins… tive uma má experiência, a pior ressaca em quinhentos anos. 
-Mojito? Propus, equacionando os víveres escassos para lhe preparar outra bebida.
-Sim, pode ser, os teus mojitos são bons, mas não abuses no rum. Se o velhote descobre que estive aqui a beber contigo é capaz de ter um ataque. 
-Não entendo porquê que te mandou a ti quando não faltam semi-deuses sem nada para fazer, ou então podia mandar um estafeta. 
-Estivemos a falar e Wōdanaz está preocupado contigo e disse que queria evitar mais atritos. E que eu tinha mais jeito para lidar contigo. 
-Então não é verdade que te ofereceste para vires buscar as agulhas e o fio de chumbo, como Wōdanaz me disse? A deusa corou. 
-Wōdanaz está a ficar senil, já não sabe o que diz.
Brindamos. Hécate continuava sentada no balcão da cozinha, vestia um peplos longo, seguro nos ombros por duas fibulas largas em ouro e o cabelo estava domado com uma fita de seda da mesma cor. Os seios salientavam-se sob o tecido fino, arrepiados, sem soutien. 
-Tens frio? Queres que te empreste um casaco? 
-Oh estás a olhar para as minhas mamas, que atrevido! Não, estou cheia de calor, repara como estou quente. Disse a deusa, conduzindo a minha mão ao interior da sua túnica.



Comentários

  1. Até os deuses menores têm a sua hora, de sorte grande ahahahahahah

    ResponderEliminar
  2. ó pá... estás com sorte ou estavas a sonhar...

    ResponderEliminar
  3. Vais ver, o calor da deusa era um estado febril
    já a puxar para o picante do frango com caril... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se vamos rimar febril com caril, atão posso dizer que foi picante e muito ofegante...

      Eliminar
  4. Não há quarentena, nem isolamento social para deuses?
    :)

    ResponderEliminar
  5. por aqui chove, e as nuvens cinzentas pingam tudo, menos mojitos ou martinis. aí para esses lados, corre melhor, pelos vistos. boa semana, Manel.
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se chovesse mojitos e martinis nã conseguiamos segurar as pessoas em casa... vá, melhores dias se avizinham, mas nã sei dizer quando que o tempo agora saiu da minha alçada... boa semana Mia

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. isto : https://www.youtube.com/watch?v=_N6DU7AD4c4
    curtinho, mas precioso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. gostei tanto desse filme, nem sei explicar bem porquê...

      Eliminar
    2. talvez porque esteja impregnado de uma ternura que atravessa a história, os diálogos, os fragmentos e vislumbres em cada cena de interior e exterior, as cores, há ali muita cor, desde o verde da floresta, à água do rio, a delicadeza dos olhares e as vozes, as vozes, que bem estão. a escolha do elenco foi sem dúvida muita cuidadosa. para mim foi tudo isto, assim à priori, que não sou crítica de cinema e falo assim de forma singela, do que sinto qaundo absorvo, - tenho muito hábito de absorver no cinema -, muito mais do que ver.
      vi-o duas vezes., quase sem intervalo.

      Eliminar
  8. Que nunca nos falte a imaginação e a criatividade :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário