Reine

Romeu tem mais de noventa anos e acorda no lar, numa cama de solteiro morna. As pernas já não acompanham a velocidade do pensamento, por isso levanta-se cedo para ganhar tempo. Desce para as refeições com uma antecedência pontual, sobressaindo dos restantes pelo seu blusão claro de meia-estação. Um dia quando as pernas nos falharem vamos entender o verdadeiro significado de "obstáculo", ou "encarceramento". Mas Romeu é uma raposa velha, a mente é aguçada e engenhosa. Mesmo com quase cem anos, adapta-se às circunstâncias, aos tempos. Sabe usar as palavras certas, mantêm o espírito elevado.
Julieta dorme noutro quarto, também tem mais de noventa anos, mas é como se tivesse apagado dez velas a semana passada. Ela chegou primeiro, porque Romeu já não conseguia cuidar dela. Julieta não reconhece Romeu, nem como marido, nem como pai dos seus filhos. Para ela, ele é mais um pretendente que compra a sua atenção na hora do chá, oferecendo-lhe palitos la reine. Ele fala disto comovido, para que o neto não se esqueça dos doces na próxima visita.




Comentários

  1. e assim terminam as histórias do foram felizes para sempre :)

    (narrativa bela)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. são estas histórias que ainda me dão alento...

      Eliminar
  2. Por motivos profissionais visito lares muitas vezes- E é mesmo assim como diz, há casos assim.
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é um "Romeu" e uma "Julieta" de verdade, carne e osso... só me limitei a narrar :)

      Eliminar
  3. Não quero, nunca, ser Julieta, não quero e não quero - será que sou ouvida?

    Boa Páscoa afilhado mailindo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se um dia fores, nem dás conta disso... boa Páscoa, madrinha! o que importa é o hoje...

      Eliminar
    2. Claro que darei, não se acorda assim, é gradual até restar nada. No entretanto,
      de alguma coisa se há-de dar conta. Mas isso não é para mim, eu vou morrer de repente, ou acordar morta, por aí :-)

      Eliminar
  4. Inspiraste-te no "Diário da Nossa Paixão", de Nicholas Sparks, Manel?
    A tua narrativa, desse infinito amor, é linda...

    Páscoa Feliz, Cigano!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahh... e a imagem é fabulosamente envolvente e elucidativa!!

      Eliminar
    2. Janita, é uma história real, sem inspiração no Nicolas :) mas imagino que seja o estilo dele...
      Alex, porra mesmo!
      Boa Páscoa, beijocas às duas

      Eliminar
    3. Agora é que reparei que a porra da Alexandra era resposta para mim...Porra!!

      Não é que seja o estilo do Nicholas, Manel, esse livro que mencionei e até foi adaptado ao cinema, conta uma história igual à tua. Portanto, também pode ter sido inspirada num acontecimento verdadeiro.

      Eliminar
    4. nã sei se era para ti ou se ficou no sítio errado :)
      nã me importava de vender a quantidade de livros que o Nicolas vende :) acho que já vi o filme, ou então falaram-me dele e sim, a história é parecida. E sim, pode ter sido inspirado em algo verdadeiro, deve acontecer muito... infelizmente

      Eliminar
  5. a "minha julieta" já perdeu o seu "romeu" há meio século. continuou a percorrer caminho, até que o caminho que ali sempre tinha estado, e se lhe estendia inteiro para ser percorrido, ora depressa ("julieta" tinha boa perna para a caminhada), ora devagar, se lhe dava para o devaneio (as flores dos jardins), veio um dia, em que esse caminho tantas vezes percorrido, nem sempre lhe parecia o mesmo. e todos caminhos começaram a ser iguais, confusos, menos bons. por fim, o caminho deixou de se fazer, esperando apenas o último, que, nalgumas vezes, em palavras ditas ainda alguma lucidez, tarda a chegar. boa páscoa , Manel (em jeito de confissão, este comentário é baseado numa história verídica).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é isso mesmo, parece uma espera numa dimensão distante, o corpo está funcional e saudável, mas a cabeça perdida... Achava que as pessoas eram felizes por nã se lembrar de nada, mas elas acabam por constituir um perigo, ou porque se perdem, ou incendeiam o fogão... mas penso que esta Julieta é que dá esperança e força de viver a este Romeu.
      Boa Páscoa, Mia (obrigado pela tua partilha e coragem, a história que contei nã é minha, nã é a minha Julieta, nem o meu Romeu, mas fiquei tão comovido que achei algum alento, uma réstia de humanidade...)

      Eliminar
    2. sem desprimor para tudo aquilo que já aqui li de grande qualidade, hoje, senti-me aqui acolhida, e entrelaçada de ternura entre estes parágrafos, pois todas estas frases me recordam aquele olhar que tudo dizia, e que já me fugiu há algum tempo. faz-me tanta falta. e agora vou. já me calo, que se faz tarde.

      Eliminar
    3. o que recordamos dos que já cá nã estão, é uma forma de estarem :) digo eu...

      Eliminar
  6. Muito triste, Manel. E nem é preciso ter 90 anos...quando essa doença ataca, seja Alzheimer ou outro género de demência, dói. Tive até há bem pouco tempo um caso desses na minha família...em que a mãe - minha tia - deixou de reconhecer toda a restante família, nem os mais próximos - filha e marido - reconhecia!
    Boa Páscoa, Mau-Tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é triste sim, porque de certa forma aquela pessoa deixa de ser a esposa, a mãe, a tia, a avó... é perder a pessoa na sua essência, o seu espírito... muito triste
      boa páscoa, Té, um pouco fora de horas

      Eliminar
  7. Aposto que todos os dias se apaixonam e que todos os dias se apaixonam como se fosse por uma nova pessoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. quero acreditar que sim :)
      é a tal esperança...

      Eliminar
  8. na noite de lua nova faça o pedido do que quer à lua, mantenha o pensamento nisso enquanto a lua estiver a crescer, tome iniciativas nesse sentido, e relaxe. não se esqueça da fórmula - intenção, acção e relaxamento.
    é a pedido da ana que deixo aqui este conselho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fico muito grato às duas :) mas já decidi que nã quero nada

      Eliminar
    2. olha, meu filho, é a escolha acertada.

      Eliminar
    3. Carago...tanto trabalho pra nada! ehehehehe

      Desculpem, Manel e Ana, vim espreitar a ver se havia novidades e não resisti.

      :)

      Eliminar

Enviar um comentário